Diálogo 5a: É o Inferno real e a Alma Humana Imortal?

ccjw-en-ad

 (LIÇÃO 11: “Crenças e costumes que desagradam a Deus”)

bullets CONVERSAS CRISTÃS COM AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ — Respostas Bíblicas a perguntas que as Testemunhas de Jeová fazem

Estão os mortos inconscientes no túmulo ou são as almas dos iníquos atormentadas num inferno de fogo? Quando a Bíblia usa o termo “destruição eterna” para se referir à punição dos iníquos, será que significa aniquilação? E que dizer da alma humana? Será que vive eternamente?

ISABEL:  Susana, estive lendo a secção “Crenças e Costumes que desagradam a Deus” na brochura da Torre de Vigia O Que Deus Requer de Nós? e diz: “Os mortos não podem fazer nem sentir nada. …A alma morre; não continua viva após a morte.”1.Mas eu não entendo como pode ser este o caso. Não diz a Bíblia em Mateus 25:46: “E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna”?2.  Se os mortos estão completamente inconscientes e não podem sentir nada, como podem os mortos que são justos, gozar “vida eterna”, enquanto os iníquos aguentam o “castigo eterno”?SUSANA: Bem, Isabel, as Testemunhas de Jeová acreditam na ressurreição dos justos que morreram. Enquanto que nós acreditamos que eles estão inconscientes no túmulo, agora, eles não permanecerão assim. Mas com respeito à punição eterna para os maus, a sua Bíblia diz algo diferente do que a minha Bíblia da Torre de Vigia, a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Em Mateus 25:46 declara: “E estes partirão para o decepamento eterno, mas os justos, para a vida eterna.” Veja, Isabel, muitas pessoas acreditam que os maus sofrerão eternamente num inferno de fogo porque, como a Sociedade Torre de Vigia explica no seu livro Raciocínios à Base das Escrituras: “Os tradutores permitiram que suas crenças pessoais afetassem seu trabalho, em vez de serem coerentes em verter as palavras da língua original.”3.

ISABEL:  Susana, está você a afirmar que a minha Bíblia Almeida Revista e Corrigida é tendenciosa, ao ensinar que as pessoas iníquas irão sofrer no inferno após morrerem? Se é assim, porque é que quase toda a tradução da Bíblia que li, sobre Mateus 25:46 diz “punição eterna” enquanto a vossa diz “decepamento eterno”?  São todas as outras traduções tendenciosas? Ou é a vossa que é tendenciosa?

SUSANA: Isabel, a minha Tradução do Novo Mundo não é tendenciosa. A Sociedade Torre de Vigia continua a explicar: “Por exemplo: …A versão de Matos Soares, 36.a ed., traduziu she’óhl por “inferno”, “terra”, “morte”, “habitação dos mortos”, “sepulcro”, “sepultura” e transliterou uma vez por “cheol”; haí·des é também traduzido ali tanto por “inferno” como por “habitação dos mortos”; gé·en·na também é traduzida por “inferno. …O significado exato das palavras na língua original fica assim obscurecido.”4. Assim, Isabel, visto que as palavras gregas e hebraicas traduzidas “inferno” na maioria das Bíblias, significam sepultura, esta é uma das razões que nós, Testemunhas de Jeová, não acreditamos que as pessoas sofram após morrerem. É por isso que os tradutores da minha Bíblia, traduziram a palavra grega Kolasin como “decepamento” em vez de “punição eterna”. A Sociedade Torre de Vigia explica: ““Kolasin . . . deriva-se de kolazoo, que significa, 1. Decepar; como no truncamento de ramos de árvores, podar. 2. Restringir, reprimir. . . . 3. Castigar, punir. Extirpar alguém da vida, ou da sociedade, ou mesmo restringir, é tido como castigo; — por conseguinte, surgiu este terceiro uso metafórico da palavra. Adotou-se a primeira acepção, porque concorda melhor com a segunda parte da sentença, preservando-se assim a força e a beleza da antítese. Os justos vão para a vida, os ímpios para o decepamento, sendo cortados da vida, ou para a morte.5.

ISABEL:  Mas, Susana, eu não concordo. Como pode o simples ato de impedir o acesso de uma pessoa iníqua à vida eterna ser a punição justa, se essa mesma pessoa não deseja a vida eterna em primeiro lugar? Apenas pense das inúmeras vezes que você escutou notícias de que pessoas más cometeram suicídio de forma a evitarem o julgamento. Não é isso o que todos os criminosos perversos querem, de forma a escaparem às consequências de suas acções? Como pode Deus ser justo ao permitir a estas pessoas iníquas o seu desejo de serem aniquiladas eternamente? Você chama a isto “punição eterna”? Isto parece ser mais como um eterno escape do julgamento, se quer que lhe diga! Agora pense um pouco sobre Hitler  — um homem que autorizou a horrível matança de 11 milhões de pessoas. Agora você vai dizer-me que Deus irá dar a ele o mesmo julgamento de aniquilação, que Ele irá dar ao meu vizinho Jorge, que nunca matou ninguém, mas simplesmente se nega a reconhecer Jesus Cristo como o caminho de Deus para a salvação?

SUSANA: Bem, Isabel, eu não diria que Hitler e o seu vizinho Jorge, terão a mesma punição. Se o seu vizinho é um bom homem, ele provavelmente será, “ressuscitado com a oportunidade de vida eterna” mas “não aqueles cuja memória foi apagada na Geena por causa de pecados imperdoáveis.6. Esses não serão ressuscitados de modo algum.  “A Bíblia não responde a todas as nossas perguntas sobre se certos indivíduos específicos que morreram vão ressuscitar.”7. Mas, eu penso que é correto pensar que Hitler será certamente um dos que permanecerá eternamente aniquilado.8.

ISABEL:  Mas Susana, esse é o meu ponto. Se o meu vizinho se recusa a aceitar a Cristo como seu Salvador e por isso, não merece viver para sempre, no fim, se a aniquilação é a única punição de Deus disponível para pessoas imerecedoras, não irá o meu vizinho acabar da mesma forma, sendo aniquilado tal como Hitler? Você chama a este tipo de julgamento, um julgamento justo — dar a toda a pessoa imerecedora o mesmo tratamento?

SUSANA: Eu percebo o seu ponto, Isabel. Eu concordo que não seria justo da parte de Deus dar a eles a mesma punição.

ISABEL:  Susana, vamos ver Hebreus 10:26-27 e o versículo 29: “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado …já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. …De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus.”9. Você notou como esta passagem especificamente afirma que haverá um “severo castigo”, portanto, maior para aquelas pessoas que calcam a verdade acerca do Filho de Deus, do que para aquelas que não fazem isso? Pode ver como a “punição eterna” tem de ser algum grau mensurável de tormento? De outro modo, não faria qualquer sentido, porque é impossível criar um grau de aniquilação mais severo de uma pessoa para outra.

SUSANA: Está bem, Isabel. Eu percebo o que quer dizer, mas que espécie de pai iria atormentar seu filho com fogo?10.

ISABEL:  Tem razão. Um bom pai não puniria seu filho com fogo, mas poderia atormentar seus inimigos com ele. Considere o texto bíblico, aqui em Mateus 25:41. Pode ler para mim, na sua Bíblia, Susana?

SUSANA: Está bem. Diz: “Então dirá, por sua vez, aos à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, vós os que tendes sido amaldiçoados, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos.’”11.

ISABEL:  Susana, Deus não preparou “fogo eterno” para atormentar Seus Filhos. Ele preparou-o para os Seus inimigos — o Diabo e seus anjos. Em João 8:44, a Bíblia chama aqueles que rejeitam Cristo, filhos do Diabo e diz que aquelas pessoas que fazem as obras de Satanás, fazem-no porque ele é seu Pai. Assim, nós não somos todos filhos de Deus, Susana. Antes, nós nascemos como filhos do Diabo, destinados ao “fogo eterno” até que nos arrependemos e somos adotados pela graça de Cristo. Somos arrancados da família do Diabo para a família de Deus, como as Escrituras descrevem aqui em João 1:12-13: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.”12.

SUSANA: Mas, Isabel, eu não acredito que o ato de Deus ao atirar Seus inimigos para o “fogo eterno”, significa que eles serão atormentados num inferno de fogo para sempre. Não é possível que Deus atormente pessoas para SEMPRE por ações realizadas num determinado e limitado período de tempo aqui na terra. Isso parece-lhe correto? Até mesmo a Bíblia afirma que o “inferno” terá um fim, quando diz na versão Almeida Revista e Corrigida em Revelação 20:14 que “a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.”

ISABEL:  Susana, se um juiz humano atribuir a um assassino apenas 5 minutos de prisão, porque o seu ato horrível levou apenas 5 minutos para executar, você acha que esse juiz é muito reto?

SUSANA: Não, não acho.

ISABEL:  É claro que não acha. E mesmo após um longo período de tempo na prisão, se você perceber que ele não mudou, você quereria que ele fosse colocado em liberdade, onde poderia cometer seus crimes novamente?

SUSANA: Bem, não.

ISABEL:  Susana, em Revelação 22:11, a Bíblia diz que no fim dos tempos, quando toda a gente for julgada: “ Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda…”13.  Você pode ver por este texto, que os iníquos serão incapazes de mudar sua maldade. É por isso que Deus terá de fazer com que o fogo da “punição eterna”, seja para sempre. Visto que estas pessoas não mudarão, Revelação 14:11 diz: “E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso, nem de dia nem de noite…” 14. Pode ver porque Deus é justo em manter tais pessoas iníquas presas num tormento ardente “para sempre”? E apenas porque Revelação 20:14 diz que a “morte” e o “inferno” ou “Hades”, como a minha Bíblia traduz, são lançados num lago de fogo, não significa que os tormentos da punição eterna irão terminar. Como pode ver, é exatamente o contrário neste caso.

SUSANA: Está bem, eu entendi o que está a dizer, mas ainda não estou convencida que Deus não aniquilará simplesmente os maus. Não diz a Bíblia que os iníquos serão destruídos, em 2 Tessalonicenses 1:9? Como podem eles sofrer eternamente, se eles serão destruídos?

ISABEL:  Susana, a palavra traduzida “destruição” em 2 Tessalonicenses 1:9 não significa aniquilação.  Eu posso entender porque acha difícil acreditar num tormento eterno, mas as Escrituras têm muito mais a dizer sobre este assunto. Podemos discuti-lo na próxima semana?

SUSANA:       Claro. Estarei aqui.

=========

1. O que Deus Requer de Nós?, 1996, pág. 23, parág. 5
2. Almeida Revista e Atualizada
3. Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 193
4. Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 193
5. Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 193
6. Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 330
7. Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 330
8. Aqui, Susana corretamente descreve o ensino das Testemunhas de Jeová, de que alguns iníquos são tão maus que jamais serão ressuscitados. Não existe espaço que permita uma refutação total desta falsa doutrina, mas as Escrituras claramente ensinam contra isso, quando declaram que os injustos serão ressuscitados tal como os justos em Atos 26:15 e Revelação 20:12-15. Não existe uma única Escritura na Bíblia que indique que alguns injustos não serão, de modo, algum ressuscitados.
9. Almeida Revista e Atualizada
10. Veja Raciocínios à Base das Escrituras, 1985, pág. 196
11. Tradução do Novo Mundo
12. Almeida Revista e Atualizada
13. Almeida Revista e Atualizada
14. Almeida Revista e Atualizada

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: EspanholTchecoInglês