Diálogo 2: O Amor Cristão Pelos Irmãos Requer Abstinência Da Guerra?

ccjw-en-ad
(CAPÍTULO 13: “Como você pode encontrar a religião verdadeira”)

Será que a  ordem de Jesus “amai os vossos inimigos” exige neutralidade política em tempo de guerra? Durante a 2ª Guerra Mundial, foram as Testemunhas de Jeová tão políticamente neutras nos seus tratos com Hitler como elas afirmam?

 SUSANA: Isabel, qual acha que é o “sinal mais notável” que identifica os verdadeiros Cristãos e os diferencia de qualquer uma das religiões do mundo? 

ISABEL:  Bem, Susana, o nosso estudo na brochura O Que Deus Requer de Nós? declara que “o que mais destaca os verdadeiros cristãos é que têm verdadeiro amor entre si.1.  Em João 13:35, Jesus disse aos seus discípulos que “nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.”2.

SUSANA: É isso mesmo, Isabel. Tal como a Sociedade Torre de Vigia explica, os verdadeiros Cristãos “não são ensinados.…a odiar as pessoas de outros países.…Por isso, não participam em guerras….verdadeiros cristãos tratam uns aos outros como irmãos e irmãs.”3. Ao contrário da Cristandade cujos membros lutam entre si na guerra, as Testetemunhas de Jeová têm consistentemente mantido estrita neutralidade, mesmo em face de feroz oposição e perseguição. Um exemplo disso ocorreu em 1930, durante o ataque nazista contra os Judeus. A revista Despertai! de 22 de Agosto de 1995, relata que “as Testemunhas de Jeová se recusaram a fazer a saudação “Heil Hitler”. Isto porque elas atribuem a sua salvação a Deus, e dedicaram a sua vida somente a Ele..…A inabalável neutralidade das Testemunhas de Jeová e sua lealdade ao Reino de Deus eram inaceitáveis ao governo de Hitler.…As Testemunhas de Jeová foram os primeiros alvos dos abusos nazistas.…Quando a Segunda Guerra Mundial começou, em 1939, já havia 6.000 Testemunhas confinadas em campos e em prisões.…A história realmente mostra que as Testemunhas de Jeová sempre têm demonstrado amor ao próximo, mesmo sob intensa pressão.”4.

ISABEL:  Susana, em João 15:13, o que disse Jesus que era o maior amor que uma pessoa podia ter por outra? 

SUSANA: Bem, Isabel, João 15:13 diz que “ninguém tem maior amor do que este, que alguém entregue a sua alma a favor de seus amigos.”5.

ISABEL:  É isso, Susana. Visto que Jesus disse que o maior amor que alguém poderia ter por outro, é entregar a sua vida por ele, porque as Testemunhas de Jeová não demonstraram este amor entregando as suas vidas para defender, proteger, e resgatar os 6 milhões de Judeus perseguidos pelo controlo de Hitler? Segundo este princípio da Bíblia, quem demonstrou maior amor? As Testemunhas de Jeová que eram tão neutras que se recusaram a participar no esforço de guerra dos Aliados para libertar os Judeus perseguidos, ou aqueles Cristãos como Corrie Ten Boom e a sua familia que deram as suas vidas para proteger e resgatar os Judeus e outros perseguidos pelo poder de Hitler? 

SUSANA: Mas, Isabel, as Testemunhas de Jeová tomaram uma posição contra Hitler! A revista Despertai! de 22 de Agosto de 1995, declara que embora as “Testemunhas de Jeová.…não participam nas guerras das nações,” ainda assim “quando Hitler estendia a guerra por quase toda a Europa, as Testemunhas resistiam às brutais tentativas dos nazistas de fazê-las participar na orgia da matança.”6. Neste artigo, a Sociedade também explicou que “mesmo antes da instalação dos campos de morte, uma voz proclamava os perigos do nazismo, por meio de Despertai!!7. Por isso pode ver, Isabel, “o amor ao próximo é o que compelia as Testemunhas de Jeová a alertar o povo da Alemanha a não se deixar enganar.…do Terceiro Reich.… As Testemunhas de Jeová foram os primeiros alvos dos abusos nazistas, mas elas também denunciaram com veemência as atrocidades contra os judeus, os poloneses, os deficientes físicos e outros.”8.

ISABEL:  Susana, está a Sociedade a argumentar que, apesar de as Testemunhas falharem em demonstrar o maior amor, entregando as suas vidas na guerra para libertar os Judeus perseguidos, elas demonstraram “amor ao próximo” por exporem as atrocidades de Hitler? 

SUSANA: É verdade, Isabel. A História mostra que enquanto as Testemunhas de Jeová “não temiam denunciar” e expor o mal do nazismo, “a Igreja Católica, bem como outras igrejas, tornaram-se serviçais do vil governo de Hitler.…Hitler era católico-romano batizado, como muitos outros líderes de seu governo.…É verdade que uns poucos indivíduos corajosos das religiões católica, protestante e de várias outras se opuseram ao Estado nazista. Mas, mesmo que alguns deles pagassem com a sua vida, seus líderes espirituais, que afirmavam servir a Deus, serviam como marionetes do Terceiro Reich.”9.

ISABEL:  Susana, está a Sociedade a dizer que “diferente das igrejas tradicionais, as Testemunhas de Jeová denunciaram o nazismo”?10.  O mesmo artigo da Despertai! 22 de Agosto de 1995, afirma que depois do Congresso das Testemunhas de Jeová em Berlim, a 25 de Junho de 1933, no qual cerca de 7.000 dos reunidos fizeram “a declaração de Factos” para apresentar o seu caso a Hitler, a perseguição sobre as  Testemunhas começou visto que “os nazistas não pretendiam tolerar qualquer recusa de apoio à sua ideologia.”11. No entanto, esta declaração que as Testemunhas enviaram a Hitler é reproduzida no Anuário das Testemunhas de Jeová de 1934. Podia ler o que as Testemunhas de Jeová realmente disseram nessa declaração? 

SUSANA: Está bem. “O maior e mais opressivo Império na terra é o Império Anglo-Americano. Por ele se entende o Império Britânico, do qual os Estados Unidos da América formam uma parte. Têm sido os Judeus do Império Anglo-Americano que construiram e usaram o alto comércio como um meio de explorar e de oprimir os povos de muitas nações.…O atual governo da Alemanha declarou-se enfaticamente contra os opressores do alto comércio e em oposição à influência religiosa errada nos assuntos políticos da nação. Essa é exatamente a nossa posição.…Em vez de ser contra os princípios invocados pelo governo da Alemanha, nós apoiamos sinceramente esses princípios.”12.

ISABEL:  Susana, como pode a Sociedade apontar certas igrejas da Cristandade que serviram como fantoches para os Nazis, quando eles apoiaram os ideais socialistas do governo da Alemanha contra “o Império Anglo-Americano”? Como podem eles dizer que se recusaram “a apoiar a ideologia” dos Nazis quando eles afirmaram na sua declaração que “o maior e mais opressivo Império na terra é o Império Anglo-Americano.”?13.  Isto soa-lhe a neutralidade? 

SUSANA: Está bem, Isabel. Talvez as Testemunhas não tenham sido tão neutras politicamente como deveriam ter sido quando lidaram com Hitler, mas pelo menos elas não participaram na guerra carnal, e até hoje, as Testemunhas de Jeová arriscam a prisão e a morte  ao invés de violar a neutralidade Cristã. Pode ver, Isabel, em Lucas 6:27-28 que Jesus disse: “…Continuai a amar os vossos inimigos, a fazer o bem aos que vos odeiam, a abençoar os que vos amaldiçoam, a orar pelos que vos insultam.”14.  Um Cristão não está a amar os seus inimigos se os estiver a matar na guerra, pois não? 

ISABEL:  Susana, visto que Jesus disse para amar os seus inimigos, se um intruso invadir a sua casa e ameaçar matá-la, isso significa que você não deve defender-se? Afinal, você não está a amá-lo se acabar por o matar em legítima defesa, não é? 

SUSANA: Oh, Isabel, essa ordem para amar os nossos inimigos não se aplica à legítima defesa.  Até a própria Sociedade admite que em Êxodo 22:2, “em sua Lei a Israel, Jeová Deus revelou que a pessoa tinha direito de autodefesa.”15.

ISABEL:  Mas, Susana, se a ordem de amar os nossos inimigos, não se aplica à legítima defesa, porque as Testemunhas de Jeová a aplicam a uma nação que faz meramente uma tentativa de se defender através da guerra contra inimigos como Hitler? 

SUSANA: Nunca tinha pensado nisso desse modo, Isabel; mas uma coisa que Jesus tornou clara é que “os seguidores de Cristo fariam discípulos de pessoas de todas as nações; de modo que os adoradores do verdadeiro Deus se achariam com o tempo em todas essas nações.…Se os verdadeiros cristãos numa nação fossem guerrear contra outra nação, estariam lutando contra concrentes, contra pessoas que oraram pedindo ajuda ao mesmo Deus que eles.”16.  Como podem os irmãos Cristãos ter verdadeiro amor uns pelos outros se eles se matarem mutuamente na guerra? 

ISABEL:  Susana, suponha que o seu marido Carlos estava consigo quando o intruso invadiu a vossa casa, ameaçando a vossa vida. Agora, ele poderia ter três opções. Ele podia vir em sua ajuda e protegê-la, ser totalmente neutro no conflito e não fazer nada para protegê-la, ou poderia juntar-se ao intruso e atacá-la. Se ele estivesse realmente do lado de Jeová, qual destas três opções ele tomaria: o seu lado, o lado do intruso, ou a neutralidade? 

SUSANA: É claro que o meu marido Carlos tomaria o meu lado e tentaria proteger-me, Isabel. 

ISABEL:  Sim. Então, porque a neutralidade neste assunto seria uma violação da Lei de Deus? 

SUSANA: Bem, Isabel, é porque Jeová Deus deu ao meu marido o dever de me proteger a mim e àqueles debaixo da sua jurisdição. Por isso, tomar uma posição neutra num conflito que ameaça as vidas desses indivíduos que estão ao seu cuidado seria uma violação do arranjo de Deus para a vida e a ordem. 

ISABEL:  É verdade, Susana. Está a ver porque o mesmo princípio também se aplica à responsabilidade de uma nação de defender o seu povo de nações inimigas? Afinal, não concordaria que em todos os conflitos existe um lado certo e um lado errado?  Por outras palavras, se o Carlos tomasse qualquer outra posição—fosse o lado do intruso ou a neutralidade—ele estaria do lado errado por negar o seu dever perante Jeová Deus de proteger aqueles ao seu cuidado. 

SUSANA: Sim, eu concordo, Isabel, mas como isso muda o facto de os Cristãos que se envolvem na guerra acabarem a matar os seus irmãos Cristãos? 

ISABEL:  Susana, visto que existe um lado certo e um lado errado em qualquer conflito, se um verdadeiro Cristão avaliar o conflito à luz dos princípios da Palavra de Deus, qual será a probabilidade de ele escolher juntar-se ao lado errado da batalha? 

SUSANA: Bem, acho que você está certa. Os verdadeiros Cristãos não escolheriam o lado errado de uma guerra, por isso, os verdadeiros Cristãos não se encontrariam a lutar em ambos os lados da batalha. Mas não entendo uma coisa, Isabel. Em Mateus 26:52, Jesus ordenou a Pedro para baixar a sua espada porque “todos os que tomarem a espada perecerão pela espada.” Porque iria Jesus ordenar isso se empunhar a espada para defender um país não é contra a lei de Deus?17.

ISABEL:  Susana, no artigo da Despertai! de 22 de Fevereiro de 1976, a sociedade disse a respeito deste versículo que “a ação de Pedro neste caso não era uma questão de autodefesa, mas, antes, de resistência às autoridades….a vontade de Deus.” Até mesmo a Sociedade admite que em Lucas 22:38, os apóstolos de Jesus, segundo se sabe, possuíam pelo menos duas espadas.18.  Visto que os discípulos de Jesus tinham várias espadas para auto-defesa, como poderia ser errado para os Cristãos empunhar a espada para defender a eles mesmos e ao seu país? 

COMENTÁRIOS:

Amigos, tal como Jesus disse em João 15:13 “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.”19. Por isso, ao longo da história, os verdadeiros Cristãos têm demonstrado o maior amor pelos seus irmãos—não por serem neutros em tempos de conflito—mas por entregarem as suas vidas para defender e proteger a sua família, amigos, e país das nações inimigas. Este amor Cristão sacrifícial pelos irmãos é evidenciado pelo facto de nenhum soldado ter desistido da sua posição depois de se ter tornado Cristão, e até mesmo João Baptista ter exortado os soldados dos seus dias dizendo “contentai-vos com o vosso soldo.”20. Como poderiam eles estar contentes com os seus soldos, a menos que, é claro, eles permanecessem soldados?

bullets Próximo capítulo

=========

1. O Que Deus Requer de Nós?, 1996, pág. 26, parág. 3
2. Almeida Revista e Atualizada
3. O Que Deus Requer de Nós?, pág. 26, parág. 3
4. Despertai! 22 de Agosto, 1995, págs. 4, 7, 9-10, 15
5. Tradução do Novo Mundo
6. Despertai! 22 de Agosto, 1995, pág. 15
7. Despertai! 22 de Agosto, 1995, pág. 3
8. Despertai! 22 de Agosto, 1995, pág. 9
9. Despertai! 22 de Agosto, 1995, págs. 3, 14, 12, 14
10. Despertai! 22 de Agosto, 1995, pág. 15
11. Despertai! 22 de Agosto, 1995, pág. 7
12.  Anuário das Testemunhas de Jeová de 1934, págs. 134-136 (Edição em inglês)
13.  Anuário das Testemunhas de Jeová de 1934, pág. 134 (Edição em inglês)
14. Tradução do Novo Mundo; Veja também Raciocínios À Base das Escrituras, pág. 271
15. Despertai! 22 de Fevereiro, 1976, pág. 29
16. Raciocínios À Base das Escrituras, pág. 263
17. Raciocínios À Base das Escrituras, pág. 262
18. Despertai! 22 de Fevereiro, 1976, pág. 29
19. Almeida Revista e Atualizada
20. Veja Lucas 3:14

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: EspanholTchecoInglês