Como Testemunhar Eficazmente As Testemunhas De Jeová

Brick Wall

COMO TESTEMUNHAR EFICAZMENTE AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁQuebrando a Barreira da Torre de Vigia Passo-a-Passo

Quando as Testemunhas de Jeová vêm à sua porta oferecer as revistas Sentinela e Despertai!, seu único objetivo é fazer com que você fique interessado o suficiente na sua religião, para considerar tornar-se uma delas. Elas não o estão visitando para considerar as suas crenças espirituais como opções viáveis para as suas vidas. Não! Elas acreditam que já possuem “a Verdade”. Assim, nas suas mentes, acham que você não tem nada para lhes oferecer. O único objectivo delas em estar à sua porta é ensiná-o a si, não você a elas. Então, como pode um cristão alcançar uma Testemunha de Jeová que acredita que ele ou ela já tem todas as respostas? A chave está em seguir três passos que examinaremos abaixo:

1º Passo: Compartilhe o que Você Tem para Oferecer
2º Passo: Remova a Fundação da Torre de Vigia
3º Passo: Contrarie a Doutrina das Testemunhas de Jeová com a Verdade

1º PASSO: COMPARTILHE O QUE VOCÊ TEM PARA OFERECER

Se você é como a maioria das pessoas no cristianismo, está razoavelmente satisfeito com o conteúdo da fé cristã. De tempos a tempos, você pode considerar a mudança de filiação na igreja para uma melhor localização, estilo de culto e preferências de pregação pastoral, mas você nunca iria pensar em recorrer a um hindu ou autoridade religiosa budista para aconselhamento espiritual. Afinal, o que esses líderes religiosos têm para oferecer a um cristão que acredita nas afirmações de Jesus, de que só Ele é “o caminho, a verdade e a vida”? Além disso, a Bíblia repetidamente condena qualquer um que se transforme em falso “deus” para orientação espiritual. Paulo advertiu os coríntios: “Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios”. —1 Coríntios 10:21 1.

Tal como os cristãos satisfeitos se voltam apenas para fontes cristãs em busca de apoio espiritual e orientação, as Testemunhas de Jeová viram-se só para a organização Torre de Vigia. Elas foram ensinadas que a organização Torre de Vigia é a única religião que possui os verdadeiros ensinamentos de Deus e que todas as outras afiliações religiosas (incluindo associações protestantes e católicas) foram enganadas por Satanás a acreditar em doutrinas que levam à destruição eterna. Assim, mesmo que estejam desencantadas com a sua religião acerca de algo que observam na organização, elas não recorrem a ninguém fora da sua organização em busca de  ajuda espiritual, porque não acreditam que os outros têm algo para lhes oferecer.

Com isso em mente, devemos reconhecer que o primeiro passo para alcançar as Testemunhas de Jeová é ajudá-las a tornarem-se desconfortáveis e descontentes com a sua religião e oferecer-lhes, através das nossas palavras e ações, a esperança espiritual que elas não têm, mas anseiam muito intimamente. Como a tabela a seguir ilustra, existem vários benefícios espirituais que os verdadeiros seguidores de Jesus podem oferecer às Testemunhas de Jeová, que estão em flagrante contraste com o que ele ou ela tem na religião da Torre de Vigia:

O QUE OS CRISTÃOS POSSUEM

O QUE AS TJ POSSUEM

Adopção Espiritual: Todos os cristãos são “adotados” retirando-os da família de Satanás para a família de Deus, nascem espiritualmente de novo, têm Jesus como seu “mediador”, e recebem todos os privilégios da Nova Aliança (Romanos 8:7-9; 14-17; 1 Timóteo 2:5, Hebreus 8:6). Negada a Adoção Espiritual: A maioria das Testemunhas de Jeová dizem que elas não podem receber a “adoção” espiritual, nascer de novo, ter Jesus como seu mediador, nem participar de privilégios da Nova Aliança, porque elas não fazem parte de um grupo especial de 144.000 pessoas.
Garantia da Salvação: A vida eterna é Segura em Cristo (1 João 5:11-13) Nenhuma garantia: Luta constante para cumprir com todos os requisitos, sem qualquer garantia de aprovação
Paz e Alegria: O senso da aprovação de Deus, não há condenação em Cristo (Romanos 8:1; 8:34) Medo e Culpa: Sentimentos de indignidade, os líderes analisam e apontam fraquezas aos seguidores
Amor Incondicional: Sem medo de rejeição (João 10:28-29). Aceitação de quem você é em Cristo, não o que você faz Amor Condicional: O amor é mostrado na proporção direta com o desempenho da organização.
  • PARA OS CRISTÃOS: Jesus pagou por todos os pecados: passados, presentes e futuros.  (1 Pedro 2:24). Ele oferece a Sua dádiva de vida eterna gratuitamente, sem condições associadas (Efésios 2:8-9). Nenhuma quantidade de boas obras ou ações pode ganhar ou merecer este presente gratuito (Isaías 64:6, Romanos 4:5). Uma vez que nada pode ser feito para ganhar a vida eterna, nada pode ser feito para mantê-la, pois, se alguém pudesse perder a vida eterna, não seria eterna (João10 :28-29). A pessoa que coloca total confiança no pagamento substituto de Jesus para o pecado, pode ter paz e alegria, sabendo que a sua salvação e vida eterna estão seguros em Cristo (1 João 5:11-13) e selados pelo Espírito Santo (Efésios 1:13-14).
  • PARA AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ: Elas acreditam que Jesus pagou pelo pecado de Adão, no jardim, mas cabe a elas trabalhar para a “perfeição”, seguindo as regras da organização Torre de Vigia. Embora as Testemunhas de Jeová sorriam quando apresentam a sua mensagem porta-a-porta, elas não têm a verdadeira paz e alegria no fundo de seus corações. Elas não têm certeza da salvação, porque a sua religião ensina que devem cumprir todos os regulamentos da organização Torre de Vigia, a fim ser achadas dignas o suficiente para sobreviver ao Armagedom (futura batalha de Deus para acabar com o governo dos ímpios). Em seu esforço para ter a aprovação de Deus, a organização domina-os através do medo e da culpa, concentrando-se na sua incapacidade de cumprir o que lhes é exigido. Isso deixa as Testemunhas de Jeová espiritualmente vazias, lutando arduamente pela aprovação de Deus, sem nenhuma garantia de onde elas vão acabar após a morte. É verdade que enquanto elas parecem felizes por fora, por dentro estão morrendo, ansiando a paz e alegria que só Cristo pode fornecer.   

PERGUNTAS QUE VOCÊ PODE FAZER ÀS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ:

Assim como um vendedor embala cuidadosamente as suas ofertas, para cativar aqueles que ele ou ela está tentando convencer a comprar um produto, assim um cristão deve preparar a sua mensagem para apelar às Testemunhas de Jeová que ele ou ela está tentando alcançar. Para este fim, as perguntas podem ser uma das ferramentas mais eficazes que você pode usar para ajudá-las a ouvir o que você tem a dizer. A seguir estão alguns exemplos de perguntas que você pode usar com este passo:

  • Se a batalha de Deus no Armagedom, fosse ocorrer hoje à noite, você saberia com certeza que iria sobreviver?
  • Até que ponto na sua religião você tem a garantia de vida eterna? Você é salvo após “tomar conhecimento” de todos os requisitos de Deus? Depois de ingressar na organização Torre de Vigia e tentar “perseverar até o fim”? Em que momento você tem a garantia?
  • Se você sobreviver ao Armagedom para o novo sistema de Deus, está garantida a vida eterna nesse momento ou você deve continuar a lutar para se provar fiel através do reinado de mil anos de Cristo? Em que ponto você pode ter certeza que não vai fazer algo, que fará com que seja destruído?
  • Se Jesus morreu por todos os nossos pecados, que pecado que podemos cometer, que nos leve a perder a vida eterna que Ele dá? (2 Coríntios 5:21, 1 Pedro 2:24) Se não há nada que possamos fazer para ganhar a vida eterna, como é que tudo o que fazemos pode nos levar a perdê-la? (Efésios 2:8-9) Você tem a vida eterna agora? (João 5:24) Se a vida eterna é eterna, como se pode perdê-la? (João 10:28-29)

Ao ver a paz e a segurança eterna que você tem no seu relacionamento com Deus através de Jesus Cristo, as Testemunhas de Jeová podem ser atraídas a ouvir o que você tem a dizer. Ao discutir essas questões que estão perto do coração de cada Testemunha de Jeová, ele ou ela pode ser levado à conclusão de que o que a religião Torre de Vigia oferece, não é nada em comparação com a verdade e a liberdade que só Jesus oferece. Esta abordagem pode abrir as portas para o evangelho, que de outra forma, não seriam abertas.

Para mais sugestões sobre como levar as Testemunhas de Jeová a Cristo, através de perguntas como as listadas acima, consulte os links a seguir no nosso site:

bullets CINCO PERGUNTAS SIMPLES PARA AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ SOBRE A FÉ E AS OBRAS
http://www.4witness.org/jwquestions/jw_q5faithworks.php

bullets GUIANDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ A JESUS — OITO PERGUNTAS SOBRE COMO TER A GARANTIA DA SALVAÇÃO
http://www.4witness.org/jwquestions/qjw-eternal-assurance.php

bullets CINCO PERGUNTAS GUIANDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ A JESUS – Apresentando o Evangelho
http://www.4witness.org/jwquestions/jw_qto_jesus.php

2º PASSO: REMOVA A FUNDAÇÃO DA TORRE DE VIGIA

Quase todos nós, os que se têm esforçado para compartilhar a nossa fé com as Testemunhas de Jeová, têm experimentado o típico cenário da “Bíblia Ping-Pong”: O Cristão apresenta versículos da Bíblia às Testemunhas de Jeová para apoiar a tese dele ou dela, e encontra uma lista de contra-versículos e de raciocínios distorcidos da Torre de Vigia, sobre o motivo dos versículos apresentados pelo Cristão não serem válidos.

Qual é a origem deste problema de comunicação? O problema é a autoridade da Torre de Vigia e o facto de que as Testemunhas de Jeová colocam a sua confiança nesta organização acima do que lêem na Bíblia. Elas foram levadas a crer que Jeová Deus só comunica a sua verdade através da organização Torre de Vigia e que a pessoa deve submeter-se à interpretação das Escrituras pela organização, acima do seu raciocínio pessoal ou análise do texto bíblico. Assim, a maioria das Testemunhas de Jeová estão convencidas de que elas não podem entender a Bíblia, aparte da literatura da Torre de Vigia.

Quando confrontadas com argumentos aos quais não podem responder, muitas Testemunhas de Jeová têm ido ao ponto de dizer que, se a organização está errada numa doutrina em particular, seria melhor para elas estar “erradas nisso” do que ir contra os seus ensinamentos. Elas argumentam que, a organização é “responsabilidade” de Jeová Deus e Ele vai corrigir qualquer erro lá dentro, no Seu tempo, e que o seu trabalho é ser “leais” a tudo o que a organização ensina, quer os ensinamentos estejam certos ou errados. Assim, elas raciocínam que no juízo final, Deus vai avaliar a sua “lealdade” no apoio da organização e vai desculpar quaisquer falsas crenças mantidas durante a sua vida com o entendimento de que é isso o que a “organização de Deus” estava ensinando no momento.

Percebendo a extensão da autoridade que a Torre de Vigia exerce sobre as mentes dos seus seguidores, muitos Cristãos descobriram que até que a confiança de uma Testemunha de Jeová na organização Torre de Vigia seja quebrada, a discussão efetiva da “verdade real” ensinada na Bíblia, pode ser uma experiência inútil, tanto para o Cristão como para as Testemunhas de Jeová. Em última análise, só a convicção do Espírito Santo, na verdade, pode quebrar completamente a confiança da Testemunha de Jeová na autoridade falsificada da organização Torre de Vigia. No entanto, um Cristão que está equipado para derrubar as quatro seguintes premissas falsas que a Torre de Vigia tem enraízado nas mentes das Testemunhas de Jeová, pode melhorar muito a sua capacidade de se libertarem da escravidão da Torre de Vigia:

  • Nós Precisamos de Ajuda para Entender a Bíblia
  • Deus Usa Sempre uma Organização para Comunicar a Sua Verdade
  • Jesus Designou a Organização Torre de Vigia para Fornecer a Verdade Espiritual nos Últimos Dias.
  • A Organização Torre de Vigia é a Única  Religião Verdadeira na Terra Hoje.

Vamos agora examinar estas premissas falsas e providenciar perguntas eficazes para quebrá-las e substituí-las com a verdade de Deus.

1ª FALSA PREMISSA: NÓS PRECISAMOS DE AJUDA PARA ENTENDER A BÍBLIA.

A primeira premissa que a Torre de Vigia implanta na mente de um convertido em potencial, é a idéia de que a Bíblia é tão complexa que ele deve ter uma “ajuda” para compreendê-la. Uma vez que a pessoa sente que ele ou ela não pode entender a Bíblia sem “ajuda”, a porta está aberta para o futuro convertido aceitar a alegação da Torre de Vigia, de que só ela tem a autoridade de Deus para interpretar corretamente as Escrituras. Para dar apoio a esta idéia, a Torre de Vigia aponta o seguinte exemplo de Filipe ao ensinar o eunuco etíope:

“Eis que um etíope, eunuco…  estava de volta e, assentado no seu carro, vinha lendo o profeta Isaías. Então, disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te desse carro e acompanha-o. Então, disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te desse carro e acompanha-o. Correndo Filipe, ouviu-o ler o profeta Isaías e perguntou: Compreendes o que vens lendo? Ele respondeu: Como poderei entender, se alguém não me explicar? E convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele… Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.” —Atos 8:27-31, 35

A Torre de Vigia observa corretamente como o eunuco etíope foi incapaz de compreender a Escritura sem a ajuda de Filipe, mas falha em notar que uma vez que o eunuco aceitou a Cristo, o seu instrutor (Filipe) deixou-o e “não o viu mais”.

“Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, não o vendo mais o eunuco; e este foi seguindo o seu caminho, cheio de júbilo.” —Atos 8:38-39

Se Atos 8 fornece a base para a afirmação da Torre de Vigia de que o povo de Deus precisa de ajuda para entender a Bíblia, como explicar o facto de que o instrutor do eunuco, o deixou assim que ele aceitou “a verdade” sobre Cristo? Esta questão, juntamente com a seguinte lista de versículos da Bíblia vai ajudá-lo a desmascarar esta premissa defeituosa da Torre de Vigia:

  • Em João 16:13, Jesus promete enviar o “Espírito da Verdade” que guia os crentes “a toda a verdade”, e em 1 João 2:27, os Cristãos são informados de que “não precisam de ninguém” para ensiná-los, porque eles têm a unção de Deus, ensinando-os “sobre todas as coisas.” Se temos o Espírito Santo para nos ensinar, por que precisamos da literatura da Torre de Vigia?
  • Em Mateus 23:8-10, Jesus proclama que os cristãos não devem chamar ninguém “Rabi”, que significa “Instrutor” ou ter alguém como “Líder” porque os cristãos têm um instrutor que é o Espírito Santo e um Líder que é Cristo. Visto que as Testemunhas de Jeová são ensinadas a olhar para o “Corpo Governante” da Torre de Vigia como o seu “instrutor” e o único “canal” através do qual a instrução espiritual é para ser dada, como pode isso não ser uma violação do mandamento de Jesus aqui em Mateus 23?
  • Se Deus é um Deus de amor e Ele quer que todos sejam salvos, por que Ele faria a Bíblia tão complicada que seria necessária a “ajuda” e orientação de uma organização para compreender a Sua verdade?

2ª FALSA PREMISSA: DEUS USA SEMPRE UMA ORGANIZAÇÃO PARA COMUNICAR A SUA VERDADE.

A Torre de Vigia ensina corretamente que no Antigo Testamento, Deus levou a nação de Israel através de uma “organização sacerdotal” de homens da linhagem de Arão. Estes sacerdotes serviram como mediadores temporários entre Israel e Deus, oferecendo sacrifícios de sangue para expiar os pecados do povo. No entanto, com a vinda de Cristo, Deus acabou com a “organização sacerdotal” de Israel, visto que Jesus se tornou o nosso último “Sumo Sacerdote” e “Mediador”, através de quem somente, nos devemos aproximar de Deus mediante a aceitação da Sua expiação sacrificial pelo pecado (Hebreus 7:26, 1 Timóteo 2:05).

Embora a Torre de Vigia reconheça a morte e ressurreição de Cristo, como uma mudança na forma como Deus conduz o seu povo, a Torre de Vigia ensina incorretamente, que depois que Jesus ressuscitou dos mortos, Ele designou uma organização cristã de seguidores em Jerusalém para servir como “corpo governante” de Deus, na liderança da humanidade, no lugar da “organização sacerdotal” de Israel. Para reforçar a sua tese, a Torre de Vigia aponta para a resolução de um debate sobre a circuncisão que começou em Antioquia e foi resolvida em Jerusalém.

“Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e não pequena discussão com eles, resolveram que esses dois e alguns outros dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e presbíteros, com respeito a esta questão… Ao passar pelas cidades, entregavam aos irmãos, para que as observassem, as decisões tomadas pelos apóstolos e presbíteros de Jerusalém. Assim, as igrejas eram fortalecidas na fé e, dia a dia, aumentavam em número.” —Atos 15:2; 16:4-5

Esta passagem não prova que o chamado “corpo governante” já existia em Jerusalém pois, se olharmos atentamente para o contexto (Atos 15:1-2), vemos que a disputa sobre a circuncisão surgiu quando os homens da área de Jerusalém (Judéia) vieram para a congregação de Antioquia e proclamaram a esses crentes que precisavam ser circuncidados, segundo o costume judaico. É de admirar que eles foram a Jerusalém para resolver a disputa que tinha sido causado por homens dessa zona? Em Atos 16, os “decretos” que Paulo e Silas estavam entregando às igrejas, tinham que ver com a decisão que tinha acabado de ser alcançada sobre a circuncisão. Não há indicação de que esses “decretos” envolviam qualquer outro assunto. Assim, vemos que não se pode usar estas passagens para fornecer uma base para a afirmação da Torre de Vigia, de que Jesus nomeou uma organização para liderar o povo de Deus no cristianismo do primeiro século.

Não só é a evidência da liderança de uma organização do primeiro século, completamente ausente nas Escrituras, mas o padrão consistente visto em todo o Novo Testamento é de que, é Deus quem lidera diretamente através do Espírito Santo. Você pode ajudar uma Testemunha de Jeová a chegar a esta conclusão, mostrando os versículos a seguir e fazendo as perguntas descritas abaixo:

  • Em Atos 13:2-4, vemos o Espírito Santo orientar a congregação de Antioquia para enviar Paulo e Barnabé para fora na sua primeira viagem missionária, sem a aprovação de um “corpo governante” em Jerusalém.
  • Quando eles voltaram da sua viagem missionária, Atos 14:26-28, não relataram a um “corpo governante” em Jerusalém, mas sim, à congregação de Antioquia, que os tinha enviado para fora.
  • Da mesma forma, em Atos 18:22, vemos Paulo e Silas retornando da segunda viagem missionária de Paulo, não a um “corpo governante” em Jerusalém, mas à congregação de Antioquia. Em Atos 18:23 Paulo saiu novamente na sua terceira viagem missionária a partir desta mesma congregação. Se existiu um “corpo governante” em Jerusalém, onde estava a sua liderança em tudo isto?
  • Quem comissionou Filipe em Atos 8:5 a pregar na cidade de Samaria? Não foi só no versículo 14, que os “apóstolos em Jerusalém, ouviram que Samaria recebera a palavra de Deus”. Em Atos 8:26, 29 e 40, lemos que o Espírito Santo é Aquele que dirigiu Filipe para os territórios onde ele pregou.
  • Quem impediu Paulo e Silas de pregar na Ásia em Atos 16:6-7? Foi um “corpo governante” em Jerusalém ou foi o “Espírito de Jesus”?

3ª FALSA PREMISSA: JESUS DESIGNOU A ORGANIZAÇÃO TORRE DE VIGIA PARA  FORNECER A VERDADE ESPIRITUAL NOS ÚLTIMOS DIAS.

A idéia de que Deus designou um grupo seleto de pessoas para fornecer a verdade espiritual nos últimos dias, é baseado na má interpretação da Torre de Vigia, da parábola de Jesus em Mateus 24:45-51. Nesta parábola, Jesus descreve dois tipos de escravos (servos), que foram encarregados dos pertences do seu amo, enquanto o amo estava fora. Um escravo foi achado “fiel e discreto” 2.   após o retorno do seu amo e assim foi recompensado sendo nomeado sobre “todos” os bens do seu amo. O outro escravo mostrou-se infiel nas suas tarefas e quando o seu amo chegou, ele foi jogado para fora com os hipócritas.

Embora não haja nada nesta passagem que indique que Ele está descrevendo uma organização religiosa, as Testemunhas de Jeová afirmam que esta passagem está falando profeticamente da organização Torre de Vigia. Elas acreditam que a “presença invisível” de Jesus começou em 1914 e que nesse momento, Jesus sendo o “amo” nesta parabola, inspecionou todos os “escravos” religiosos (igrejas cristãs) de Jeová Deus para determinar quem estaria qualificado para ser nomeado por Jeová Deus, para dar alimento espiritual ao povo de Deus nos últimos dias. Assim, elas afirmam que a organização Torre de Vigia passou no teste e foi designada como a única autoridade espiritual sobre “todos” os “bens” de Deus (seus seguidores).

Vamos agora demonstrar que a Torre de Vigia não se qualifica para ser o escravo “fiel e discreto” de Deus e que a sua interpretação de Mateus 24:45-51 está incorreta. Para conseguir isso, vamos primeiro examinar a história da Torre de Vigia e, em seguida, examinar inconsistências na literatura atual da Torre de Vigia e concluir com perguntas das Escrituras, para desmascarar a interpretação defeituosa da Torre de Vigia da parábola de Jesus.

PERGUNTAS PARA FAZER SOBRE A HISTÓRIA DA TORRE DE VIGIA:

  • A Torre de Vigia afirma que a partir de 1914-1919, Jesus inspecionou a sua literatura e determinou que a Torre de Vigia “passou no teste” para representar Jeová Deus (Veja Aproximou-se o Reino de Deus de Mil Anos, 1973, págs. 348, 349). No entanto, quando examinamos a história da Torre de Vigia, descobrimos que nesse momento, a literatura da época, estava falsamente profetizando que a presença de Cristo começou em 1874 e que o fim do mundo ocorreria em 1914. Quando 1914 falhou, a Torre de Vigia mudou a data para 1915, depois para 1918, depois novamente para 1925. Visto que Deuteronômio 18:20-22 adverte sobre os falsos profetas que prevêem eventos que não ocorrem, como Jesus poderia ter dado a sua aprovação a esta organização?
  • Em Mateus 24:11, 23-24, Jesus advertiu que nos últimos dias, “falsos profetas” iriam proclamar que a sua presença tinha começado, quando não tinha. Visto que as Testemunhas de Jeová acreditam agora que a presença de Cristo começou em 1914, não prova isto que a sua proclamação anterior de que a presença de Cristo teve início em 1874, significa que esta organização estava fazendo a mesma coisa que Jesus advertiu aos seus seguidores, que “falsos profetas” fariam nos últimos dias, ou seja, proclamar que a Sua presença tinha começado quando ela não tinha? Por que iria Jesus nomear uma organização para representar a Jeová Deus, que estava fazendo a mesma coisa sobre a qual Ele advertiu os seus seguidores em Mateus 24?
  • Na página 88 do Anuário de 1976 das Testemunhas de Jeová, a Torre de Vigia admite que, no momento da inspeção de Jesus (antes e logo após a morte do fundador da Torre de Vigia, Charles Taze Russell, em 1916), “a idéia que muitos adotaram era que o próprio C. T. Russell fosse o “servo fiel e prudente”. Isto levou alguns ao laço da adoração de criaturas.” Visto que as Testemunhas de Jeová estavam envolvidas em falsa adoração de um homem durante o tempo de inspeção de Jesus, como Ele poderia ter nomeado esta organização para ser o representante de Deus na terra?
  • A Torre de Vigia orgulha-se de ter sido “neutra” durante a I Guerra Mundial, quando Jesus estava alegadamente a conduzir Sua inspeção à sua organização. (Veja Conhecimento Que Conduz à Vida Eterna, págs 160, 161) No entanto, os artigos de 15 de maio e 1 de junho da Sentinela de 1918, incentivou as Testemunhas de Jeová a comprar “Títulos de Liberdade”, que ajudaram a financiar o envolvimento dos EUA na Primeira Guerra Mundial. É isto verdadeira “neutralidade” ou compromisso?

PERGUNTAS A FAZER SOBRE A LITERATURA ATUAL DA TORRE DE VIGIA:

  • Em Provérbios 30:6 e em outras passagens das Escrituras, Deus adverte sobre aqueles que “acrescentariam” à Sua palavra. A Torre de Vigia admite que dos 5.000 manuscritos gregos do Novo Testamento que possuímos hoje, nenhum deles contém o nome de Deus (Jeová) na íntegra. Ainda assim, a Tradução do Novo Mundo da Bíblia da Torre de Vigia insere “Jeová”, 237 vezes na sua tradução das Escrituras Gregas Cristãs (Novo Testamento). Como eles podem fazer isso à luz da advertência das Escrituras sobre a adição à palavra de Deus? Uma das maneiras como justificam a sua inserção de “Jeová” é argumentar que o nome de Deus foi retirado do texto do Novo Testamento, antes do século IV. Este argumento cai por terra quando consideramos que temos cópias de manuscritos do Novo Testamento que datam dos 2º e 3º séculos, e nenhum deles contém o nome. Nós também temos 36.000 citações do Novo Testamento dos primitivos Pais da Igreja e nenhum deles contém o nome de Deus. Se o nome de Deus foi retirado do Novo Testamento sem deixar rasto, como podemos ter certeza que nada mais foi retirado do Novo Testamento? Não prometeu Jesus preservar a sua palavra? (Mateus 24:35) Iria Jeová apoiar uma organização que “acrescenta” à Palavra de Deus?
  • A Torre de Vigia negou ter publicado a biografia de Russell, porque não quer que as pessoas saibam que as Testemunhas de Jeová no início “adoraram” Russell. Encobriram o assunto com desculpas do seu histórico de citar livros relacionados com o “mundo espiritual” de Satanás, e mentiu sobre os verdadeiros ensinamentos dos primitivos Pais da Igreja, a fim de apoiar a sua crença de que a doutrina da Trindade foi derivada do paganismo. Será que Jeová que é o Deus da “verdade” iria apoiar uma organização desonesta? (Tito 1:2) 

PERGUNTAS PARA FAZER SOBRE MATEUS 24:45-51:

  • Se devemos interpretar o escravo fiel em Mateus 24:45-47, como representando a organização Torre de Vigia, que organização é representada pelas afirmações de Jesus sobre o “escravo iníquo” em Mateus 24:48-51?
  • Se olharmos para os hipócritas religiosos que abusam do seu poder e autoridade para o ganho ilícito, não concorda que essas pessoas coletivamente se qualificam como o “escravo iníquo” de que fala esta passagem? Uma vez que qualquer indivíduo pode se tornar parte do grupo do “escravo iníquo” apenas por ser um hipócrita, porque não pode se tornar qualquer indivíduo parte do grupo do “escravo fiel e discreto” por ser fielmente dedicado ao ministério cristão?
    • NOTA: Uma objeção comum das Testemunhas de Jeová ao argumento acima é que se cada cristão leal se qualifica para estar no grupo do “escravo fiel e discreto” que está encarregado de “todos” os bens de Jeová (seus seguidores), sobre que posses é que eles irão governar ? Nossa resposta é que a Bíblia fala do fato de que, durante o reinado de 1.000 anos de Cristo, haverá pessoas na Terra que não fizeram uma decisão a favor ou contra Jeová Deus. Assim, estes cristãos no grupo do “escravo fiel e discreto” serão capazes de governar sobre eles, bem como sobre os anjos (1 Coríntios 6:3).
  • Se devemos interpretar o “escravo” fiel em Mateus 24:45-48 como falando profeticamente da organização Torre de Vigia sendo fundada nos últimos dias, que organizações representam os “escravos” das outras parábolas de Jesus? Por exemplo, assim como os escravos na parábola de Mateus 24 foram encarregados dos bens do seu amo, em Mateus 25:14-30, Jesus descreve três “escravos” a quem também foram confiados os bens do seu amo. Será que a Torre de Vigia interpreta os três escravos nesta parábola como três organizações religiosas? Ou será que a Torre de Vigia interpreta os “escravos” como sendo cristãos individuais? Se todos os outros “escravos” nas parábolas de Jesus devem ser interpretados como descrevendo indivíduos e não organizações, porque interpretar a parábola em Mateus 24 de forma diferente?

4ª FALSA PREMISSA: A ORGANIZAÇÃO TORRE DE VIGIA É A ÚNICA RELIGIÃO VERDADEIRA NA TERRA HOJE.

O método final que a Torre de Vigia usa para solidificar a sua autoridade na mente de uma prospetiva Testemunha de Jeová, é levar a pessoa a aceitar uma lista única de critérios doutrinários que a Torre de Vigia descreve como “a Verdade”. Uma vez que o potencial convertido abraça essas doutrinas, ele ou ela, é guiado por um mentor Testemunha de Jeová (geralmente aquele que iniciou os “estudos” de doutrinação) para aceitar a reivindicação da Torre de Vigia de que só ela cumpre a lista exclusiva de critérios doutrinários. Afirmando que Jesus começou apenas “uma verdadeira religião” e que se deve aderir a esta religião a fim de ser salvo, o potencial convertido é então levado a fazer um compromisso com a organização Torre de Vigia por meio do batismo. Neste ponto, o convertido é aceite na religião “Testemunhas de Jeová” e deverá seguir a liderança da Torre de Vigia como a única autoridade religiosa para a sua vida.

Para contrariar totalmente a autoridade da Torre de Vigia na mente de uma Testemunha de Jeová, é preciso estar preparado para remover os critérios da “verdade” da Torre de Vigia e substituí-los com a definição bíblica de “a verdade”. Mas até que as Testemunhas de Jeová estejam convencidas de que a organização Torre de Vigia não é a organização de Deus, os argumentos bíblicos sobre os critérios da sua suposta “verdade” podem revelar-se inúteis. Assim, recomendamos uma abordagem alternativa para lidar com esta premissa falsa.

Esta abordagem envolve listar os critérios que a Torre de Vigia afirma provarem que é a “única religião verdadeira” e contrastar os critérios com as reivindicações de outras organizações religiosas que também adotam as mesmas crenças fundamentais doutrinárias. Como a maioria das Testemunhas de Jeová não estão familiarizadas com os grupos religiosos que delineamos abaixo, esta abordagem pode facilmente demonstrar às Testemunhas de Jeová que a Torre de Vigia não é única nas suas crenças e, por isso, não pode usar os critérios da sua “verdade” para provar que é a “única” verdadeira religião. Neste ponto, você pode substituir os critérios da “verdade” da Torre de Vigia, pela “verdade” Bíblica.

PERGUNTAS PARA FAZER ÀS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ PARA IDENTIFICAR A “VERDADE”:

    • Você acredita que existe apenas uma religião verdadeira na terra hoje?
    • Você acredita que a seguinte lista de crenças e atividades descritas nas páginas 26 e 27 da publicação da Torre de Vigia de 1996, O Que Deus Requer de Nós? fornece uma descrição precisa de como podemos identificar a “única” religião verdadeira? A lista dada, ensina que a verdadeira religião deve:

1.   Evitar Guerra e Política
2.   Evitar feriados pagãos
3.   Rejeitar a doutrina da Trindade
4.   Rejeitar a imortalidade da Alma e Inferno
5.   Devemos pregar o Reino
6.   Devemos proclamar o nome de “Jeová” como sendo o nome de Deus

  • Você sabia que as religiões seguintes também abraçam essas mesmas doutrinas e práticas?
  • Assembléias de Javé
  • Assembleias dos Chamados de Ya
  • Casa de Javé
  • Assembleia de YHWH Yeshua
  • Cristadelfianos
  • Quando outras religiões também cumprem os critérios da Sociedade Torre de Vigia, como podem estes critérios provar que ela é a “única” religião verdadeira? Uma vez que os critérios indicados pela organização Torre de Vigia, não são exclusivos da sua religião, poderá ser que a Bíblia dê um critério diferente do da Torre de Vigia para determinar “a verdade”?
  • Em João 17:17, Jesus proclama que “a palavra de Deus é a verdade”. Em João 1:14, quem é identificado como a “Palavra” viva de Deus? De acordo com João 14:6, é “a verdade” uma pessoa ou uma religião? De acordo com João 5:39, 40, é o tema da Bíblia uma pessoa ou uma teocracia religiosa?
  • Em João 6:68, Pedro disse que a “que” devemos ir? Ou ele disse a “quem” devemos ir?
  • De acordo com João 10:27-29, a que as “ovelhas” de Deus respondem e seguem? Aonde vão elas para receber “vida eterna”? Você vê alguma coisa nessa passagem sobre uma organização religiosa?

Nota: As Testemunhas de Jeová são advertidas contra ler algo crítico sobre a sua organização. Você pode necessitar apresentar documentação fotocopiada da sua literatura e de outras fontes para provar alguns destes pontos em “Remova a Fundação da Torre de Vigia”. Para mais informações e documentação de apoio fotocopiada, consulte os links a seguir no nosso site:

bullets Provam os Ensinos das Testemunhas de Jeová que Elas São a  Única Religião Verdadeira?
http://www.4witness.org/jwquestions/qjw-truth-criteria.php

bullets  É a Torre de Vigia “Fiel e Discreta”?

bullets O que é a Verdade?

PASSO 3: CONTRARIE A DOUTRINA DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ COM A VERDADE

Ao contrário do Cristão que é encorajado a desafiar a fé da pessoa, usando métodos objetivos de raciocínio e análise (ver 1 Tessalonicenses 5:21), as Testemunhas de Jeová são constantemente desencorajadas a aplicar o pensamento crítico para qualquer das doutrinas e políticas defendidas pela organização Torre de Vigia. Portanto, quando a organização Torre de Vigia é removida como uma fonte de verdade espiritual, a Testemunha de Jeová fica com sentimentos de incerteza, sem saber no que acreditar ou em quem confiar. Muitos dos medos comuns associados com deixar a religião das Testemunhas de Jeová incluem:

  • Medo de ter deixado “A Verdade”
  • Medo de ser rejeitado por Deus
  • Medo de ficar sozinho
  • Medo de ter que pensar e tomar decisões
  • Medo do mundo exterior (Sistema de Satanás)
  • Medo de confiar em alguém ou algo

Muitos convertidos desiludidos que deixam a organização Torre de Vigia, sem a ajuda suficiente de pessoas treinadas para combater a doutrinação da Torre de Vigia, acabam por se juntar a outra religião que afirma ser “a verdade” ou tornam-se ateus e agnósticos, vivendo a vida sem a visão de Deus ou da eternidade. No entanto, com recursos apropriados, a orientação do Espírito Santo, e com o apoio amoroso de Cristãos comprometidos e ex-Testemunhas de Jeová que já passaram pelo processo, muitos têm vindo a encontrar a verdadeira liberdade num relacionamento pessoal com Cristo.

Se Deus lhe concede o privilégio de conduzir as Testemunhas de Jeová para fora da Torre de Vigia, é importante ter em mente a sua luta com esses “medos” mencionados acima e ser sensível e paciente, para ajudá-las a trabalhar nessas questões com a verdade da Palavra de Deus. Visto que a Torre de Vigia exige tanta atividade das Testemunhas de Jeová, também é importante ter em mente que muitos que saiem ficam “escaldados” com a atividade religiosa. Não espere que elas participem em serviços religiosos consigo imediatamente. Por causa dos “medos” implantados nelas, devido à sua experiência na Torre de Vigia, pode levar meses e até mesmo anos antes de uma ex-Testemunha de Jeová se sentir confortável o suficiente para assistir a serviços religiosos regularmente, ou a participar de uma atividade organizada pela igreja. Vá devagar quando se trata da área da vida cristã e tenha em mente que o objetivo não é fazê-las participar na sua igreja, mas ajudá-las a entrar num relacionamento pessoal com Cristo, olhando apenas para a Palavra de Deus na Bíblia e para a orientação do Espírito Santo, para a verdade espiritual e liberdade.

=========

1. Salvo disposição em contrário, todas as citações bíblicas são retiradas da Bíblia Almeida Revista e Atualizada.
2. Tradução do Novo Mundo da Bíblia da Torre de Vigia

Print Friendly

This post is also available in: Espanhol Inglês