A História da Saída de Tressa das Testemunhas de Jeová

tressaO TESTEMUNHO DE TRESSA

Desassociado por se divorciar de seu marido abusivo Testemunha de Jeová, Tressa trabalhou arduamente para ser reintegrada, mas Deus interveio com a Sua Verdade.
Educada num lar católico, tudo o que Tressa queria era alguém que lhe ensinasse a Bíblia. Então, quando as Testemunhas de Jeová bateram à sua porta, ela pensou que era a resposta às suas orações e criou seus cinco filhos na organização. Desassociada por divorciar-se de seu marido abusador, Tressa trabalhava arduamente para ser readmitida, quando Jesus a encontrou!

Link Visite os artigos de Tressa

Fui criada numa família católica. Foi o meu pai quem teve o maior impacto na minha vida espiritual. De maneira súbtil, e às vezes não tão súbtil, ele me ensinou a amar a Deus. Quando era adolescente, eu não me lembro de ter sido autorizada a ir a uma festa sem o “entendimento claro” de que não importava o quão tarde eu chegasse a casa, eu iria assistir à missa no domingo de manhã! Ele sempre me incentivou a rezar e a “conhecer” a Deus.

Apesar de assistir à catequese, nunca senti que estivessem a ajudar-me a “conhecer” a Deus. Era principalmente sobre “a Igreja”, Maria e os santos. Mas o meu pai ajudou-me a ansiar conhecer a Deus.

De alguma forma, eu sabia que a Bíblia era a Palavra de Deus. Claro, agora eu sei que era o Espírito Santo a ensinar-me, chamando-me para Deus. Como católica, nunca tive uma Bíblia. Quando me casei com o meu marido, deram-me uma enorme Bíblia católica de família e eu estava determinada a lê-la de capa a capa! Não demorou muito tempo até eu perceber que precisava de ajuda. Mas, enquanto isso, eu descobri três coisas sobre a Igreja Católica que me fez decidir que não ia ser mais católica.

  1. Ao orar, Jesus disse para não repetir as mesmas palavras uma e outra vez (Mateus 6:7), mas isso é o que o rosário é.
  2. Jesus disse, a ninguém chameis “Pai”, porque Deus é o vosso Pai (Mateus 23:9), mas como católicos, chamamos o sacerdote de “Pai”!
  3. Jesus tinha irmãos biológicos (Marcos 3:32), mas os católicos ensinam que Maria é “sempre virgem”.

Visto que eu estava agora em casa nas manhãs de domingo a ler a Bíblia e precisando de ajuda para entendê-la, fiquei emocionada quando alguém veio à minha porta e se ofereceu para “estudar a Bíblia” comigo! Demorou 14 anos até eu perceber que elas não estavam a estudar a Bíblia comigo, mas em vez disso, as mentiras da Torre de Vigia! Ao estudar para ser uma Testemunha de Jeová, eu aprendi que o Natal era pagão, assim como o eram os aniversários e os Dias do Pai e da Mãe. Todas as “outras” religiões eram “do Diabo”, assim como o “pensamento independente”. Elas me ensinaram que a Trindade era um ensino falso e se eu queria viver para sempre – não no céu, mas num paraíso terrestre – eu tinha que servir ao Deus “Jeová” na forma prescrita pela Torre de Vigia.

Isto consumiu toda a minha vida. Por esta altura, eu tinha quatro filhos e uma filha, e era obrigada a ensinar aos meus filhos o que eu estava aprendendo. Eu era obrigada a preparar-me não só a mim, mas também aos meus cinco filhos para as cinco reuniões realizadas a cada semana no Salão do Reino. Eu tive que prepará-los para falar com estranhos de porta em porta sobre as “Boas Novas do Reino”, que Jesus havia de fato voltado em 1914 e que este velho mundo perverso teria “em breve” um fim no Armagedom em 1975!

Depois de muito abuso físico e emocional, o meu casamento de 22 anos terminou em divórcio, e porque fui eu quem o pediu, fui desassociada da organização Torre de Vigia. Visto que as Testemunhas “leais” a Jeová não têm comunhão com aquele que é desassociado, nem mesmo falam com eles, os meus cinco filhos crescidos escolheram ser “fiéis a Jeová”, obedecendo à Torre de Vigia.

Por dois anos, assisti a todas as reuniões no Salão do Reino na esperança de ser readmitida. Nessas reuniões, fui totalmente ignorada por pessoas que eu chamava de amigos e familiares. Até os meus cinco filhos, não falavam comigo. Os anciãos me explicaram que por estar “desassociada”, eu não precisava de me preocupar em orar, porque Jeová não ouviria a minha oração. Foi uma época muito difícil para mim!

No entanto, o meu Pai celestial é tão bom! Durante os dois anos em que implorei aos anciãos que me deixassem entrar de volta para a organização, Deus colocou um amigo cristão maravilhoso no meu caminho. Durante vários meses, nós tivemos muitas discussões espirituais. Eu queria fazer de Testemunha de Jeová, e ele queria me ajudar a ver o amor e a misericórdia de Deus. Eu não sei porque continuava a ouvi-lo visto que eu “sabia”, que como Testemunha de Jeová, isso era “errado”, porque ele não tinha “a Verdade” (termo usado pela Torre de Vigia para os seus ensinamentos). Mas agora sei, e novamente foi o Espírito Santo me atraindo para o nosso Senhor. O ponto de “rutura” aconteceu, quando eu vi que a Torre de Vigia estava errada sobre a Trindade! Então, como um efeito dominó, os seus ensinamentos ruíram diante dos meus olhos.

Quatro dos meus filhos ainda são escravos da Torre de Vigia. No entanto, a minha única e preciosa filha, Meriah, está livre das suas cadeias e foi batizada com Cristo, no domingo de Páscoa de 2007, junto com a sua própria preciosa filha de 11 anos de idade, Jasmin.

Só mais uma coisa que eu preciso de vos dizer. Eles dizem para ficar próximos da pessoa que o traz até ao Senhor, certo? Bem, eu casei-me com ela!

No Amor de Cristo,

Tressa

 

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: Espanhol Inglês