Será que os patriarcas das escrituras hebraicas estão no céu?

Heaven

SE JESUS FOI O PRIMEIRO A ASCENDER AO CÉU, SERÁ QUE ELIAS E OUTROS CRENTES DO ANTIGO TESTAMENTO ESTÃO NO CÉU?

JOÃO 3:13: “Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem.”

POSIÇÃO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ:

A Sociedade Torre de Vigia ensina que apenas 144.000 pessoas irão viver eternamente no céu, enquanto o resto da humanidade fiel apenas terá a perspectiva de viver para sempre no “Paraíso” terrestre. Acreditando que este grupo celestial de 144.000 começou em Pentecostes (33 A.D.), as Testemunhas de Jeová afirmam que “nada nas Escrituras indica que se oferecesse aos servos de Deus uma esperança celestial antes da vinda de Cristo Jesus.”1. Assim, elas declaram que “Davi, Jó e João, o Batizador” assim como “todos os homens e mulheres fiéis que morreram… Serão ressuscitados para se tornarem parte dos súditos terrestres do reino de Deus.”2.   Como apoio da sua crença de que nenhum dos servos do Antigo Testamento estará no céu, as Testemunhas de Jeová fazem referência a João 3:13, Atos 2:34Mateus 11:11.

RESPOSTA BÍBLICA:

É verdade que “nada nas Escrituras” indica que uma “esperança celestial” era mantida pelos crentes do Antigo Testamento? O que dizer de 2 Reis 2:11, onde “Elias subiu ao céu num redemoinho”? Não reapareceu Elias na terra juntamente com Moisés, quando Jesus foi transfigurado em Mateus 17:3?

E que dizer de Enoque a quem “Deus o tomou” em Gênesis 5:24? As Escrituras dizem-nos em Hebreus 11:5 que “Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus.” Hebreus continua dizendo que esta “esperança celestial” não foi apenas dada a Enoque, mas também a Abel, Noé, Abraão e Sara.

HEBREUS 11:13, 15-16: “Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas… confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra… E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.”

As Escrituras não apenas declaram que estes servos de Deus que morreram antes de Cristo, estavam procurando uma “pátria” celestial, mas que Jesus proclamou a seus discípulos que Abraão, Isaque e Jacó estarão “no reino dos céus”.

MATEUS 8:11: “Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus.”

LUCAS 13:28-29: “Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes, no reino de Deus, Abraão, Isaque, Jacó e todos os profetas, mas vós, lançados fora. Muitos virão do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul e tomarão lugares à mesa no reino de Deus.”

Dada a evidência de que os crentes do Antigo Testamento estarão “no” céu, vamos voltar a nossa atenção para os textos bíblicos usados como prova pela Torre de Vigia, para a sua oposição a esta crença.

  • JOÃO 3:13 “Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem.”

Será que a declaração de Jesus aqui, apoia a afirmação da Torre de Vigia de que nenhuma pessoa que morreu antes de Cristo estará no céu?3. As Escrituras declaram que “é impossível que o sangue de touros e de bodes remova pecados.”4.   Assim, nenhum dos servos de Deus que morreu antes de Cristo poderia ter ido para o céu até que os seus pecados tivessem sido expiados na cruz. Deste modo, Jesus proclamou que ele foi o primeiro a ascender “ao céu”. Hebreus explica o que aconteceu quando Jesus entrou no céu:

HEBREUS 9:24, 26: “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus…agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado.”

Então, o que aconteceu com Elias e Enoque quando foram “levados”? Se eles não foram para o “céu”, para onde foram? As Escrituras descrevem três céus. O primeiro céu é o céu onde as nuvens e os pássaros planam (veja Gênesis 1:8). O segundo céu é onde as estrelas e os planetas residem (veja Salmos 19:1), e o terceiro céu é o lugar onde Deus habita (veja 2 Coríntios 12:2). Quando as Escrituras afirmam que Elias “subiu ao céu num redemoinho”, está possivelmente a referir-se ao firmamento (seio de Abraão em Lucas 16), e não ao local onde o trono de Deus reside.

Em Lucas 16:19-31, Jesus conta a história de um homem rico que morreu e foi para um lugar de “tormento” no “Hades”, enquanto Lázaro (um homem justo), foi para um lugar de descanso na porção do Hades designada “seio de Abraão”. Jesus conta que o homem rico na zona de “tormento” do Hades, foi capaz de ver e comunicar com pessoas no “seio de Abraão”, mas que ninguém foi capaz de viajar entre os dois espaços, visto que estavam separados por um “grande abismo”. Crê-se que nos três dias entre a morte e ressurreição de Jesus, ele libertou servos do Antigo Testamento no lado designado como “seio de Abraão”, de modo a irem para o céu com Ele, enquanto aqueles no lado do tormento no Hades, permaneceram lá até ao futuro julgamento de Deus diante do trono branco, quando a “morte e o Hades” forem “lançados para o lago de fogo” (Revelação 20:14). Assim, nós vemos que enquanto Elias e Enoque não morreram quando foram “levados” imediatamente para o “céu”, Deus manteve-os na porção do Hades (“seio de Abraão”), até à ressurreição de Jesus quando eles foram diretamente para o céu onde Deus habita. Outras Escrituras que suportam este entendimento são as seguintes:

EFÉSIOS 4:8-11: “ Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido até às regiões inferiores da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas. E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres.”

MATEUS 27:50-53: “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas; abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.”

1 PEDRO 3:18-19: “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito, no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão.”

LUCAS 23:43: “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.”

Agora que o “Paraíso” havia sido mudado do “Hades” para o “terceiro céu” onde Deus habita, os espíritos dos cristãos que morrem, vão imediatamente estar “com” Jesus no céu.

2 CORÍNTIOS 12:2-4: “Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir.”

2 CORÍNTIOS 5:6-8: “Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto no corpo, estamos ausentes do Senhor; visto que andamos por fé e não pelo que vemos. Entretanto, estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor.”

FILIPENSES 1:21-23: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Entretanto, se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.”

  • ATOS 2:29, 34: “Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje….Porque Davi não subiu aos céus…”

A Sentinela cita Atos 2:34 acerca de Davi não ascender ao céu e afirma que ele receberá uma ressurreição para viver na terra — em vez de no céu.5.  Mas como nós vimos na resposta acima ao uso de João 3:13 pela Torre de Vigia, não é por Davi não ter ido imediatamente para o céu quando morreu, que significa que ele tenha sido excluído daqueles santos do Antigo Testamento que foram para o céu na ressurreição de Cristo. Além disso, longe da aplicação da Torre de Vigia da passagem comprovar ou não Davi como tendo esperança celestial, o contexto nada fala da ressurreição de Davi, mas antes, de Cristo e como ele cumpriu a promessa dada a Davi. Assim nós vemos que o uso que as Testemunhas de Jeová dão a este texto como prova para o seu entendimento da ressurreição de Davi, não tem qualquer mérito.

  • MATEUS 11:11: “Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele.”

Será que o facto de que João, o Batizador não ser tão grande como alguém que é o “menor no reino dos céus”, prova que ele não foi para o céu após a ressurreição de Jesus? Enquanto a Torre de Vigia faz esta afirmação,6. em nenhum lado da passagem se declara que João, o Batizador nunca irá para o céu. De facto, quando Jesus declara em Lucas 13:38 que “todos os profetas” estarão “no reino de Deus”, isto deve incluir João, o Batizador e por isso podemos estar certos de que ele também estará no céu com o resto dos profetas do Antigo Testamento. Também existe uma boa pista de que ele ascendeu ao céu após a ressurreição de Cristo (veja Mateus 27:52), e é digno de nota de que na altura em que Jesus fez esta declaração, ninguém ainda havia “subido ao céu.”7. Assim, Jesus não podia ter ninguém em mente que já estivesse “no céu” quando ele fez esta declaração acerca de João, o Batizador.

João, o Batizador viveu debaixo do Antigo Pacto, e assim, o seu ministério não foi tão “grande” como daqueles que proclamaram o Novo Pacto em Cristo. Enquanto João, o Batizador preparou o caminho para Cristo, tão grande quanto ele era, ele não podia equiparar-se ao mais “pequeno” dos seguidores de Jesus que eram agentes do “reino dos céus” de Deus — enquanto ainda na terra naquela altura. Assim, o “pequeno” dos seguidores de Jesus, pela natureza da mensagem que proclamava, foi “maior” do que João, o Batizador.

PARA MAIS INFORMAÇÃO VEJA:

bullets 2 CRÓNICAS 21:12: Será que Elias enviou uma carta ao Rei Jeorão após a sua ascensão ao céu?

============

1. Estudo Perspicaz das Escrituras, 1988, vol. 1, pág. 492
2. Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, 1989, pág. 122
3. Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, 1989, págs. 121-122
4. Hebreus 10:4
5. Veja Raciocínios das Escrituras, 1989, pág. 80
6. Veja Raciocínios das Escrituras, 1989, pág. 80
7. Veja João 3:13

 

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: EspanholTchecoAlemãoInglês