Diálogo 2B: Deveriam Os Cristãos Usar O Nome Divino “Jeová” Na Oração?—Parte 2

(CONTINUAÇÃO DO DIÁLOGO ANTERIOR)

ISABEL:  Olá, Susana! Chegou a fazer alguma pesquisa acerca da semana passada? Nós falamos sobre como a Torre de Vigia insere o nome divino na sua tradução do Novo Testamento das Escrituras Gregas Cristãs, embora não exista um único manuscrito grego das Escrituras Cristãs que contenha o nome Jeová. Eu perguntei-lhe porque a Sociedade Torre de Vigia afirma que devemos usar o nome Jeová nas nossas orações baseada em textos que não contêm o nome divino na língua original.

SUSANA: Sim, Isabel, a brochura da Torre de Vigia O NOME DIVINO Que Durará para Sempre aborda este mesmo assunto. Eles admitem que, excluindo  as formas abreviadas do nome de Jeová—tais como “Jah” e “Aleluia”que: “…nenhum antigo manuscrito grego dos livros de Mateus a Revelação hoje disponível contém o nome de Deus por extenso.”1. Mas visto que a maioria dos manuscritos das Escrituras Gregas Cristãs em existência em nossos dias “foi feita durante e após o quarto século de nossa Era Comum” a Sociedade argumenta que  “algo” terá acontecido “com o texto das Escrituras Gregas Cristãs antes do quarto século que resultou na omissão do nome de Deus.”2. 

ISABEL:  Verdade, Susana?  Eles acreditam que por volta do quarto século, o nome de Deus foi eliminado dos manuscritos? Mas não afirma a Sociedade: “das Escrituras Gregas Cristãs, cerca de 5.000 em grego, a mais antiga datando do começo do segundo século EC”?3. E não argumentam que ao compararmos estes manuscritos, observamos que “introduziram-se no texto alguns pequenos erros e alterações de escribas… Em geral, são insignificantes e não alteram a integridade geral da Bíblia”?4.  Como manter a afirmação de que “O texto que temos é substancialmente o mesmo que os escritores originais registraram”5. e ao mesmo tempo afirmar que algo tão significante como o nome divino foi tirado dos manuscritos 237 vezes?6.

SUSANA: Eu não sei Isabel, mas a Sociedade afirma que, visto que a Septuaginta Grega demonstra evidência de que o nome divino lhe foi retirado, o nome terá sido retirado das Escrituras Gregas Cristãs também.7.

ISABEL:  Mas Susana, a Septuaginta é a tradução Grega das Escrituras Hebraicas ou Velho Testamento. É claro que as Escrituras Hebraicas continham o nome divino, mas isso não prova nada em relação ao Novo Testamento ou Escrituras Gregas Cristãs. Se é verdade que as Escrituras Gregas foram adulteradas, tal como a Septuaginta foi, você não esperaria que víssemos a mesma evidência de adulteração nos manuscritos das Escrituras Cristãs? Se o argumento da Sociedade é válido, porque é que em mais de 5.000 manuscritos Gregos que possuímos das Escrituras Cristãs, não encontramos nenhuma evidência do tipo de adulteração que vemos nos manuscritos da Septuaginta? 

SUSANA: Está a dizer, Isabel, que se as Escrituras Cristãs fossem adulteradas tal como a Septuaginta foi, nós veríamos evidência nesses manuscritos? 

ISABEL:  É exatamente o que eu estou a dizer, Susana. Não apenas essa evidência está em falta nos manuscritos das Escrituras Cristãs que possuímos atualmente, mas falta  também em todos os escritos dos Pais da Igreja apostólicos e pós-apostólicos. Você sabia que os primitivos pais da igreja que viveram no tempo dos apóstolos, nunca usaram o nome divino quando citavam as Escrituras Hebraicas? Não acha que, se o nome divino fosse usado pelos escritores das Escrituras Cristãs, nós veríamos essa evidência nos escritos dos Pais da Igrejas que citavam tanto as Escrituras Hebraicas como Gregas?

SUSANA: Suponho que sim. 

ISABEL:  Mas, Susana, essa evidência está 100% em falta. Das 86.000 citações das Escrituras Gregas Cristãs que estão nos escritos dos Pais da Igreja, nenhum deles contém o nome divino.8.  Onde está a evidência de que a Sociedade está falando? 

SUSANA: Bem, Isabel, não disse Jesus na sua oração a Jeová: “E eu lhes tenho dado a conhecer o teu nome e o hei de dar a conhecer.…”?9.  Se o nome não era usado pelos escritores Cristãos, como Jesus poderia dar a conhecer um nome que ele nunca pronunciou? 

ISABEL:  Muito facilmente, Susana.  Tal como falámos na semana passada, a Sociedade afirma: “Conhecer o nome de Jeová é algo bem diferente de se conhecer as quatro letras que o compõem. É saber por experiência que Jeová realmente é aquilo que seu nome declara que é.”10. Portanto, Susana, Jesus e os escritores das Escrituras Cristãs tornaram o nome de Deus conhecido—não por promoverem uma pronunciação—mas por revelarem quem a pessoa de Jeová realmente é. Até mesmo a Sociedade admite que existe uma boa possibilidade de no tempo de Cristo, os Judeus não estarem autorizados a pronunciar o nome de Deus, pois ele era apenas pronunciado pelo sumo sacerdote “nos ofícios religiosos no templo — especialmente no Dia da Expiação.”11.  Embora não haja evidências suficientes para provar se Jesus pronunciava ou não o nome divino quando Ele lia as Escrituras Hebraicas, podemos ter a certeza que, se o uso do nome de Jeová é tão importante como eles dizem, Deus teria garantido que o nome não fosse removido das Escrituras Sagradas, não concorda? 

SUSANA: Penso que sim, Isabel. Mas os tradutores da Bíblia da Sociedade Torre de Vigia foram muito cuidadosos quando inseriram o nome divino nas Escrituras Cristãs. A Sociedade afirma que: “…a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs.… reintegrou o nome de Deus toda vez que um trecho das Escrituras Hebraicas que o contém é citado nas Escrituras Gregas.”12.  Está a ver, Isabel, é por isso que a Bíblia da Sociedade Torre de Vigia introduziu o nome “Jeová” em vez de “Senhor” em Romanos 10:13.  É devido a isso que nesta passagem, Paulo está a citar a passagem de Joel 2:32 das Escrituras Hebraicas,  que contém o nome.13.

ISABEL:  Então, Susana, deixe-me ver se entendi o que me está a dizer. A Bíblia da Torre de Vigia contém o nome divino no Novo Testamento das Escrituras Cristãs, em todo o lugar em que o escritor está a citar uma passagem do antigo Testamento Hebraico? 

SUSANA: É isso mesmo, Isabel. Assim, mesmo que não haja evidência nos manuscritos Cristãos Gregos do nome divino ser usado pelos escritores Cristãos, a Bíblia da Sociedade Torre de Vigia introduz o nome em todo o lugar onde o escritor Cristão estiver a citar uma passagem das Escrituras Hebraicas que contenha o nome. 

ISABEL:  Isso é interessante, Susana, podia ler Isaías 8:12-13 na sua Bíblia da Torre de Vigia? 

SUSANA: Claro. “…‘Conspiração!’ e não deveis temer aquilo de que eles têm medo, nem deveis estremecer diante dele. Jeová dos exércitos — é a Ele que deveis tratar como santo.…”14.

ISABEL:  Muito bem Susana. Agora veja as referências cruzada na sua Bíblia. A Tradução do Novo Mundo  faz referência cruzada desta passagem com 1 Pedro 3:14? 

SUSANA: Sim, Isabel. Vou ler na minha Bíblia. “…No entanto, não temais o que eles temem, nem fiqueis agitados. Mas, santificai o Cristo como Senhor nos Vossos corações.…”  Espere! Porque a minha Bíblia não inseriu o nome Jeová nesta passagem visto que está a citar Isaías? 

ISABEL:  É uma boa questão, Susana. Assim como Isaías diz que nós devemos santificar a Jeová como santo, Pedro aplica esta passagem a Cristo, dizendo que devemos santificar a Cristo como Senhor Jeová. Se a Sociedade fosse consistente na sua tradução, ela teria que inserir o nome de Jeová nesta passagem, e você sabe o que isso faria à sua doutrina. Vê agora porque a doutrina deles impede a Sociedade de ser consistente na sua tradução?

COMENTÁRIOS:

Amigos, a razão pela qual os escritores das Escrituras Gregas Cristãs não promoveram o nome divino nos seus escritos, é porque existe apenas um nome que devemos invocar para a salvação.  Esse nome é Jesus. Atos 4:10,12 declara: “ Tomai conhecimento, vós todos e todo o povo de Israel, de que, em nome de Jesus Cristo …a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, sim, em seu nome é que este está curado perante vós.… E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.”15.

bullets Próximo capítulo

=========

1. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, 1984, pág. 23
2. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, 1984, pág. 24
3. Raciocínios À Base Das Escrituras, 1989,pág. 69
4. Estudo Perspicaz das Escrituras, 1988, vol. 2, pág. 756
5. A Bíblia—Palavra De Deus Ou De Homem, 1989, págs. 59-60
6. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, pág. 27
7. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, pág. 25
8. Veja Defending Your Faith—How To Answer The Tough Questions (Defendendo Sua Fé—Como Responder a Perguntas Difíceis), de Dan Story (Nashville, TN: Thomas Nelson Publishers, 1992), pág. 38 com documentação anexada dos escritos dos Pais da Igreja Clemente, Barnabás e Irineu. (Edição em inglês) Nota: Nos manuscritos Gregos, KURIOS (Ky’rois)  = “Senhor” e QEOS (The-os’) = “Deus.”
9. João 17:26, Tradução do novo mundo
10. Estudo Perspicaz das Escrituras, vol. 2, pág. 501
11. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, pág. 14
12. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, pág. 27
13. O NOME DIVINO Que Durará Para Sempre, pág. 26
14. Tradução do Novo Mundo
15. Almeida Revista e Atualizada, Para um exame extenso e detalhado do uso da Tradução do Novo Mundo do nome divino nas Escrituras Gregas Cristãs, veja o livro The Tetragrammaton and the Christian Greek Scriptures (O Tetragrama e as Escrituras Gregas Cristãs). (Edição em inglês) (Word Resources Inc., PO Box 301294, Portland, OR  97294)

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: EspanholTchecoInglês