Como Posso Ter A Aprovação De Jeová Na Minha Vida?

roadfall2

PDF

“ ‘Todos achavam que eu era uma ministra de tempo integral alegre e animada. Era sempre eu que ajudava os outros com seus problemas. Ao mesmo tempo, porém, sentia-me como se estivesse morrendo por dentro. Pensamentos perturbadores e angústia mental estavam acabando comigo. Comecei a me sentir isolada. Só queria ficar em casa, na cama. Durante meses, eu implorei a Jeová que me deixasse morrer.’—Vanessa”  A Sentinela, 1 de Junho, 1997, pág. 24

TRUE FREEDOM

Você já alguma vez sentiu que por mais que se esforçasse, nunca estava à altura? Pois, você frequenta o Salão do Reino e coloca um sorriso no seu rosto como que dizendo, “Está tudo bem…” mas na sua consciência, você sabe que não tem a aprovação de Jeová na sua vida.

Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.”—2 Coríntios 13:5

Acho que todos nós passamos por momentos de auto-exame, em que refletimos sobre as nossas vidas e questionamos a nossa lealdade a Jeová Deus. Afinal de contas, isto é o que as Escrituras nos ordenam a fazer! Cada um de nós precisa perguntar a si próprio, “Será que estou à altura?” “Estou verdadeiramente ‘na fé?”

Eu gostaria de partilhar uma experiência que aconteceu comigo há alguns anos atrás, quando eu estava passando por um desses momentos de auto-exame.  Acabou por ser um encontro com Jesus que mudou totalmente a minha vida.

Antes dessa experiência, embora soubesse sobre  Jesus e o Seu sacrifício resgatador pelos pecados da humanidade, Ele não era assim muito pessoal para mim. Acho que sentia que Ele estava lá em cima no reino celestial com o Pai, e que nós éramos deixados por nossa conta na terra tentando repelir os ataques de Satanás, a fim de nos tornarmos aceitáveis a Jeová.

Eu associava-me com uma congregação local de Cristãos crentes; contudo, eu sabia no meu coração que não tinha a aprovação de Jeová na minha vida.  As perguntas que continuavam na minha mente eram: “Se eu morresse esta noite, eu seria aprovado ou reprovado aos olhos de Jeová?” “Iria Ele conceder-me a vida eterna no julgamento iminente?”

Havia um sentimento de culpa que eu carregava, porque eu sabia que não importava o quanto tentasse, eu sempre falhava em “sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.” (Mateus 5:48). Em Tiago 3:2 declara-se: “Pois todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo.”

Como poderia eu “ser perfeito”? É a perfeição apenas algo que se “vai trabalhando”— não necessariamente algo que domina a nossa vida? Que dizer da justiça de Jeová? Vai Jeová equilibrar a Sua justiça em função da Sua misericórdia? Como poderia Ele ser justo ao fazer isso? Ao diminuir a sua justiça para a equilibrar com a Sua misericórdia irá comprometer a Sua justiça! Para ser verdadeiramente honesto comigo mesmo, tinha que admitir que eu não estava à altura.

Recentemente, fui lembrado desse fato quando estava correndo para a estação de correios para enviar um pacote antes de fechar pontualmente às 17h30m. À medida que corria pelo parque de estacionamento às 17h31m, podia ver que estavam a começar a fechar as portas principais. Corri até à porta, bati e pedi que o carteiro me deixasse entrar.  Afinal, estava apenas um minuto atrasado! Ainda assim, através da porta, ele afirmou que estavam fechados e que não podia deixar-me entrar.

Enquanto pensava nisso, eu refletia em como até nos nossos dias, a justiça requer que tudo seja feito a horas—sem excepções! Comecei a pensar no tipo de ser que Jeová é. Ele é um Deus de ordem, perfeição, e santidade. Em nenhum momento Ele se atrasa, nem nunca renuncia aos Seus propósitos. Embora Ele seja infinitamente amoroso, a Sua perfeição e santidade requerem que nada que seja impuro entre no Seu Paraíso. Se nós, segundo a nossa justiça, exigimos que os nossos companheiros humanos vivam segundo padrões perfeitos (como que cumprindo um horário) que não podem ser alterados, como pode Jeová ser justo ao se curvar às Suas normas “com base na Sua misericórdia”?  Ele não pode!!! Nunca permita que seja dito que nós humanos, somos mais justos e retos nos padrões que exigimos aos nossos semelhantes, do que Ele é! Assim, podemos ver que para Jeová enfraquecer a Sua justiça com base no Seu amor e misericórdia teria que comprometer a própria natureza da Sua justiça.

Assim, você pode ver a situação. Muito sombria, não é?  Embora eu soubesse que Jesus morreu pelo pecado Adâmico—pagando assim o resgate pelo que Adão perdeu—faltava alguma coisa.  Eu ainda carregava a culpa pelos meus pecados individuais nos meus ombros (ou seja, todas as vezes que eu era desonesto, desobediente, rebelde, infiel e desleal). Como eu queria ter a certeza de que quando batesse à porta do Paraíso, Jeová me iria deixar entrar!  Como eu queria ter a Sua paz e um senso de aprovação de Jeová na minha vida. A esperança chegou para mim, quando comecei a interiorizar a verdade das seguintes passagens:

“Mas Deus dá prova do seu amor para connosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Logo muito mais, sendo agora justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.… Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.—Romanos 5:8-9; 2 Cor. 5:21

O que Isaías queria dizer quando afirmou “todas as nossas justiças como trapo da imundícia” (Isaías 64:6)? O que  Paulo queria dizer quando afirmou que “porém ao que não trabalha, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é contada como justiça (Romanos 4:5)?

A luz penetrou no meu coração quando eu reconheci a verdade de 1 Pedro 2:24: “levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.” O que significa a palavra “levou”? Literalmente significa “carregar.” De acordo com esta passagem, onde Jesus “carregou” os nosso pecados individuais?  A passagem diz que Ele carregou todos os nossos pecados “no Seu corpo.”

À medida que a luz raiou no meu coração, esta maravilhosa verdade me atingiu: Jeová Deus literalmente transferiu TODOS os meus próprios pecados para o corpo de Jesus e ele foi pendurado ali, morrendo por toda a minha iniquidade—carregando-a “no Seu corpo”!!!

O impacto dessa imagem vívida atingiu em cheio o meu coração. Jesus morreu—não apenas pelo pecado Adâmico—mas por todos os meus próprios pecados! “No Seu corpo,” Ele carregou—não apenas os pecados de toda a humanidade—mas cada coisa que eu tinha feito que me tornava reprovado perante Jeová—desde pensamentos impuros a motivos egoístas que resultaram em acções que desagradaram a Jeová.

Já alguma vez visualizou Jesus morrendo no tronco por todos os nossos pecados? Alguma vez você visualizou o Seu sangue fluindo por você? Você entende que não era apenas o pecado Adâmico que colocou Jesus no tronco, mas os seus pecados que O prendiam lá?

Enquanto eu refletia nisso, de repente, cheguei à conclusão de que se eu ficasse em pé diante de Jeová Deus, Ele poderia acusar-me do assassinato de Jesus e eu teria de declarar-me culpado—pois os MEUS pecados individuais mataram-No. É um assunto muito sério, não é?

Mas este é o amor que Jesus tem por si e por mim!  Dá-se conta de que, se você fosse a única pessoa no mundo que O aceitasse, ainda assim, Jesus teria morrido por si?  Por falar de amor!!  Eu não consigo ter o suficiente e, ainda assim, sou tão indigno dele.

“…sendo agora justificados pelo seu sangue … o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.…”

Estas palavras ecoaram no meu coração. Foi neste ponto de ruptura que reconheci, que não há nada que pessoalmente possa fazer, para me tornar aceitável a Jeová e obter a Sua aprovação na minha vida. Percebi que precisava ir diretamente a Jesus e pedir-Lhe para ser o meu Senhor e Salvador pessoal, tal como Atos 22:16 ordena: “Agora por que te demoras? Levanta-te… lava os teus pecados, invocando o seu nome.’”

À medida que continuei a estudar a Palavra de Deus, eu descobri como “ser perfeito” como o Pai exige—não na minha própria justiça—mas na justiça de Cristo com o Seu sangue cobrindo todos os meus próprios pecados.  Hebreus 10:10 declara que “temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre.” A palavra santificados significa “separados como santos.”

Como é que nós somos “separados como santos”?  De acordo com esta passagem, é pela “oferta do corpo de Jesus Cristo”.  Enquanto eu lia Hebreus 10, notei o versículo 14 que diz: “Pois com uma só oferta [sacrificial] tem aperfeiçoado para sempre os que estão sendo santificados.” A expressão “estão sendo” dá a ideia de “perfeição” contínua—sendo baseada no sacrifício de Cristo “de uma vez para sempre”—que nunca é quebrado. É uma justiça que é literalmente imputada à minha conta—que nunca será tirada de mim a partir do momento que depositei a minha confiança total em Cristo.

No momento em que me virei para Jesus e pedi para Ele me dar a Sua justiça em troca dos meus pecados, eu tornei-me “perfeito” na minha condição perante Jeová Deus. Jeová não mais me viu no contexto do meu pecado e imerecimento, mas agora Ele me vê apenas na justiça de Jesus Cristo. Colossenses 3:3 afirma: “porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.”

Eu não posso colocar em palavras a paz que inundou o meu coração no momento que entreguei a minha vida a Jesus e confiei Nele totalmente, para representar a minha dignidade perante Jeová Deus.  Tudo o que sei é que num minuto, eu estava sob a culpa dos meus pecados ; no minuto seguinte eu estava livre e tinha a sensação imediata da aprovação de Jeová. Num minuto, Jeová Deus era um Deus distante e impessoal, a quem eu orava mas  nunca tinha a certeza de Ele realmente ouvia; no minuto seguinte Ele era real para mim e a sua imensa paz me inundou de uma alegria que eu não consigo explicar.  Jesus tinha ouvido pessoalmente a minha oração e respondido por me tornar limpo dos meus pecados, entrando em minha vida, e me convidando para um relacionamento pessoal com Ele. Na verdade, as palavras de Paulo aos Coríntios provaram-se verdade no meu relacionamento com Jesus:

“…aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso… Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.”—1 Coríntios 1:2, 9

Como pode você ter “amizade” com alguém com quem nunca falou?  Desde que fui até Jesus e Lhe pedi para me dar a sua justiça em troca dos meus pecados, eu nunca mais temi a desaprovação de Jeová. Enquanto eu viver para Ele, Jesus continua a manter-me num relacionamento cada vez mais íntimo com Ele.

“Perguntaram-lhe, pois: Que havemos de fazer para praticarmos as obras de Deus? Jesus lhes respondeu: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou.”—João 6:28-29

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: EspanholTchecoItalianoRussoInglêsPortuguese