A História da Saída de Ashton das Testemunhas de Jeová

ashton

.:ASHTON – Criada como 3ª Geração de Testemunhas de Jeová

Ela nasceu e foi criada na terceira geração de Testemunhas de Jeová. O seu pai adotivo foi ancião por 17 anos e sua mãe foi considerada como pertencendo aos ungidos. Ela foi pregadora de tempo integral, mas para fugir de uma relação abusiva em casa, aos 23 anos de idade, ela foi viver com seu namorado e foi desassociada. Perdida e solitária, ela virou-se para a Palavra de Deus e encontrou a “Verdade” numa relação pessoal com Jesus.

Eu nasci e fui criada como Testemunha de Jeová de terceira geração. A minha mãe biológica tinha apenas 14 anos de idade. O seu pai, o meu avô, disse que não poderia criar um outro bébé, especialmente um bebé sem pai, sem qualquer ajuda. Ele já era um pai solteiro tentando criar três filhos sozinho. A sua esposa, a minha avó, foi institucionalizada, por isso a minha mãe biológica foi forçada a me dar para adoção.

Coincidentemente, a secretária do escritório de advocacia que cuidou da adoção também era Testemunha de Jeová, e pertencia à congregação da minha família adotiva. Ela sabia que os meus pais adotivos queriam adotar e deu-lhes a conhecer a menina de 14 anos de idade, que estava quase pronta para dar à luz. Os arranjos foram feitos e eu fiquei imediatamente adotada nesta nova família de Testemunhas de Jeová. Fui diretamente do hospital para a sua casa.

O meu pai era um ancião da organização Torre de Vigia já por 17 anos, e a minha mãe foi considerada um dos membros ungidos das Testemunhas de Jeová. A partir da idade de 3 a 7, fui molestada pelo meu avô do lado do meu pai adotivo. O meu avô era Testemunha de Jeová e foi Servo Ministerial/Ancião e serviu como Superintendente de Circuito. Ele tinha uma filha que era seis meses mais velha que eu e a minha mãe suspeitava que ele a estava molestando (minha tia). A minha mãe tinha-o visto fazer algumas coisas inapropriadas com a sua filha, então ela foi ao meu pai (ancião) e lhe disse, e ele se recusou a acreditar, e se recusou a enfrentar o seu pai, porque a minha mãe não tinha qualquer outra testemunha disso.

 Ninguém sabia que ele estava sendo inadequado comigo também. Foi-me dito por ele que o que estava acontecendo era para eu saber como ele me amava. Ele disse que ninguém me amava, porque isso não acontecia com mais ninguém, então eu nunca disse a ninguém porque me fazia sentir especial que ele me amasse tanto, e mais ninguém me amasse. A minha mãe uma vez me disse que que eu tinha feito comentários sobre o meu pai não me amar tanto como o meu avô, mas ela nunca associou isso. Os meus pais continuaram a levar-nos para sua casa por muitos anos. Nós finalmente nos mudámos para outro estado por motivos diferentes. Eu lembro-me de estar muito triste, porque eu não teria mais o “amor” do meu avô.

O meu avô tinha sido inadequado com a minha mãe quando ela estava grávida de 8 meses do meu irmão do meio. Eu vi isso acontecer. A minha mãe foi ter com o meu pai de novo, e o meu pai de novo não iria entregá-lo, porque a minha mãe não tinha uma testemunha. Eu era muito jovem para ser uma testemunha. A minha mãe não sabia que eu tinha visto. Eu não contei a ninguém até à idade de 18 anos sobre nada disto. Eu levei a minha mãe a almoçar e disse-lhe o que tinha acontecido, ou o que eu acho que aconteceu, porque eu tinha bloqueado muita coisa. Fui então, levada aos anciãos e fui obrigada a contar toda a história em detalhes, ou o máximo que pude, aos anciãos. Eles pegaram na informação e foram até ao meu avô, e ele negou que alguma coisa, alguma vez tivesse acontecido. Eles, então, disseram que visto que ele negou e eu não tinha testemunhas e foi há muito tempo, nada poderia ser feito sobre isso, e nada poderia ser feito com ele.

Quando os nossos amigos souberam da minha acusação, muitos deles ficaram do lado do meu avô. Quase todos os nossos amigos escolheram permanecer seus amigos e viraram as costas para nós, porque eu o havia acusado de uma coisa tão horrível. Apenas uma família continuou a ser nossos amigos, e ela e o seu marido nasceram de novo hoje também como Cristãos.

Antes de eu ser desassociada em 1990, eu estava tentando me tornar uma “pioneira de tempo integral”, mas as minhas horas no serviço não estavam no padrão, então eu estava sendo rejeitada pelos anciãos. Tomei a decisão de trabalhar as minhas horas, por sair no serviço o máximo que podia, e depois tentar novamente. Embora, eu nunca fizesse feito isso para ter o status de “pioneira”, eu era considerada “de tempo integral” no serviço.

Quando eu tinha 23 anos, fiz a escolha de pedir a um homem do trabalho para me ajudar a escapar da minha situação familiar abusiva. Eu sabia que significaria que eu também teria que deixar a minha religião, ainda que no momento, eu não estivesse totalmente contra as suas crenças. Eu só sabia que tinha que sair de uma situação muito ruim em casa. Acabei ficando intimamente envolvida com este colega de trabalho, que resultou em ser levada a uma “comissão judicativa” com os anciãos. Lá, eles me disseram que se eu quisesse continuar a namorar o meu colega de trabalho, Kirk, eu poderia fazer isso, mas eu não poderia ter relações com ele. Eu sabia que isso significaria que eu não teria escolha, senão voltar para o mau ambiente na minha casa, então eu fiz a escolha de lhes dizer “NÃO”, e que eu não iria deixar de estar com este homem de uma maneira íntima. Eles me disseram que, por causa da minha escolha, eles não tinham escolha a não ser desassociar-me. Eu disse que tudo bem, e saí. Toda a minha família me evitou por mais de dois anos depois, por causa das minhas escolhas.

Dois anos depois, me casei com Kirk e estamos casados ​​até agora por 15 anos. Temos dois meninos, da idade de 14 e 3 anos. Depois do meu casamento, a minha família finalmente entrou em contato comigo novamente e me disse que a minha mãe estava lendo a Bíblia diligentemente. Quando ela estava na organização, a minha mãe tinha sofrido com alguns dos ensinamentos da Torre de Vigia e tinha passado muitas horas no estudo da Bíblia pessoal, longe das publicações da Sociedade Torre de Vigia. Através deste estudo pessoal, ela estava vendo coisas que lhe mostraram que a Torre de Vigia era uma religião falsa. Uma das coisas que ela percebeu foi que Jesus é divino, e não o arcanjo Miguel, como a Torre de Vigia ensina.

Minha família me informou que eles estavam deixando a Torre de Vigia. Naquela época, eu estava no processo de considerar a readmissão na organização, para que pudesse ter a minha família de volta, mas quando descobri que eles estavam planejando sair, eu decidi ficar desassociada e não voltar. Toda a minha família saiu da Torre de Vigia em 1992.

Embora eu tivesse sido desassociada em 1990, mantive a maioria das crenças e da mentalidade da Torre de Vigia até 2005. Quando deixei a Torre de Vigia, a minha mãe se tornou o meu guru, a pessoa para quem eu me virei em assuntos espirituais. Ela tinha começado a ler a Bíblia durante 18 horas por dia depois de deixar a Torre de Vigia, e ela ligava e dizia-me as coisas que ela estava aprendendo, ou quando estávamos juntas ela me mostrava o que tinha encontrado na sua leitura. Muitas da coisas ela não entendia muito bem, de modo que ela só iria adivinhar e dizer: “Isto certamente quer dizer isto….” Finalmente, os seus erros a levaram a acreditar que ela tinha vidas passadas e ela começou a acreditar na reencarnação. Ela agora é totalmente desta crença, e acredita que ela e toda a sua família (sim, eu também) tiveram vidas passadas e são realmente pessoas reencarnadas da Bíblia. Ela também acredita que é uma das duas testemunhas em Apocalipse 11.

Finalmente, ela e eu tivemos uma briga que nos fez parar de falar por cerca de 6 meses. Durante esse tempo, eu comecei a olhar para a Bíblia por mim mesma e comecei a parar de depender da minha mãe para satisfazer as minhas necessidades espirituais. Foi quando eu descobri a minha necessidade de conhecer Jesus Cristo como meu Salvador pessoal. Durante semanas, eu li tudo o que pude. Comecei a estudar as Escrituras sobre a salvação, sobre nascer de novo, e sobre a divindade de Jesus. Eu pesquisei muitos sites da Internet que lidavam com ex-Testemunhas de Jeová, que me levaram à Paltalk onde conheci uma mulher chamada Barb no “chat” das ex-Testemunhas de Jeová. Ela tem sido uma grande ajuda para mim, durante os três anos que a conheço.

Quando comecei a ler sobre o fato de que eu precisava conhecer Jesus pessoalmente, que a minha salvação não estava em todas as coisas que eu estava fazendo, que era simplesmente crer e me arrepender e saber QUEM Ele é, inicialmente eu encontrei-me muito zangada por me terem mentido em toda a minha vida. Tinha-me sido negado o amor de Cristo e a indispensável relação com Ele – aquele relacionamento pessoal de um pai com um filho muito amado. Mas eu fui da raiva e da tristeza para a pura alegria e satisfação quando eu finalmente percebi que agora tinha isso na minha vida. NINGUÉM podia tirar isso de mim e eu finalmente poderia descansar de todos os meus trabalhos. Isso me atingiu como uma tonelada de tijolos no dia em que percebi que tudo o que eu tinha a fazer era crer no Seu nome, e eu seria salva. Esse foi o dia em que o meu mundo inteiro mudou. Eu deixei ir os meus pecados, confessava-os em voz alta, orava a Deus para me revelar tudo o que eu precisava para me arrepender.

Embora eu nunca dissesse uma oração “oficial” de pecadora, eu sabia no meu coração que havia me tornado SUA FILHA, que eu era diferente e não podia mais levar a vida que eu levava. Algum tempo depois, percebi que tinha parado de chamá-lo de Jeová e comecei a chamá-lo de Pai, mas até hoje não estou 100% certa de a quem eu estou rezando – o Pai ou o Filho, porque eu rezo a ambos e dirijo as minhas orações a ambos. Eu oro até ao Espírito Santo quando eu preciso de sabedoria e compreensão durante o meu estudo da Bíblia. Um mês depois eu vim a Cristo, comecei a procurar uma igreja local, a fim de ser devidamente batizada em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Encontrei uma muito boa, e eu e a minha família temos aí assistido desde então.

Seis meses depois de eu encontrar a minha igreja, a minha mãe decidiu falar comigo novamente. Finalmente a nossa conversa veio para a minha salvação, porque ela notou uma diferença em mim e na maneira como eu era capaz de entender as Escrituras por mim mesma. Quando eu lhe disse o que aconteceu comigo, ela estava muito feliz por mim até que eu disse que tinha sido batizada novamente numa igreja cristã. Ela prontamente me disse que ela não podia mais falar comigo e desligou o telefone. Ela afastou-se de mim desde então. Esse é o modo como ela lida com as pessoas que não acreditam no que ela acredita. Ela acredita que eu estou em apuros eternos porque escolhi participar de uma igreja que é uma parte do que ela acredita que é “Babilônia, a Grande”, e eu vou morrer nos pecados “dela”. Os meus pais ainda não aceitam qualquer coisa que tenha a ver com o cristianismo ortodoxo. A minha mãe ainda ora a Jeová assim como ela fazia quando estava na Torre de Vigia. Eu oro por eles diariamente, que eles vão ser capazes de sair de debaixo do controle da mente da Torre de Vigia, que está definitivamente ainda presente nas suas vidas.

Hoje, junto com o meu marido Kirk, que nunca foi uma Testemunha de Jeová, e o nosso filho mais velho Derek, eu sou uma filha de Deus nascida de novo. Louvado seja o Senhor! A minha família e eu estudamos a palavra de Deus diariamente, compartilhando o seu amor com os outros. Nós sentimos fortemente que é importante estar em comunhão com outros cristãos renascidos e assim estamos ativos na nossa igreja local. É o nosso amor por Deus que nos impele a querer que todos cheguem ao conhecimento da salvação em Jesus Cristo e experimentem o Espírito no íntimo que só Ele pode oferecer. A minha caminhada com Jesus é cada vez maior, por meio do estudo diário da Bíblia e da oração.

Eu não cresci fazendo estas coisas numa base diária na nossa casa Testemunha de Jeová, então eu sou sempre um trabalho em desenvolvimento, mas o meu amor por Cristo me obriga a querer conhecê-lo mais e ficar mais perto dele todos os dias. Quando comecei a ler a Bíblia por mim mesma e descobri a minha necessidade de Jesus Cristo na minha vida, eu realmente não tinha idéia de Quem Ele era e o que Ele realmente significa na vida dos verdadeiros cristãos. Mas desde que cheguei a conhecê-Lo como meu Senhor e Salvador pessoal, em março de 2005, eu sei, sem sombra de dúvida, que Jesus morreu por mim, pessoalmente, e que, sem um relacionamento com ele, eu morreria no Inferno.

Deus tem me ajudado a recuperar das minhas experiências. Toda a vez que eu conto o meu testemunho, eu fico mais forte em espírito e sou grata a Deus por proteger o meu coração e a minha mente na minha vida. Eu me importo com quem está deixando as Testemunhas de Jeová. Tendo passado por abuso infantil e abuso sexual nas mãos de membros das Testemunhas de Jeová da família e amigos, eu posso ser de grande ajuda nesta área também. Sofri de muitos efeitos do abuso, incluindo questões alimentares e promiscuidade, mas eu permaneci virgem até aos 23 anos de idade. Eu tentei me matar, atacava todos à minha volta, e ainda tento sabotar os relacionamentos quando as pessoas se tornam muito próximas, mas o meu Jesus está me ajudando a recuperar destas coisas, e eu sou mais forte a cada dia.

Eu NÃO pediria a Deus para remover o meu passado de mim, porque eu tenho um testemunho que pode ajudar outras pessoas que tenham passado pelo que eu passei. Eu também cresci com uma vida de oração a Jeová. Eu estava muito tempo sozinha devido à minha mãe me colocar no meu quarto por longos períodos de tempo, como castigo. Mais tarde, descobri que era porque ela não conseguia lidar com os meus problemas e era mais fácil apenas fechar-me no meu quarto do que lidar comigo, então aquelas longas horas sem nada para fazer foram passados em oração a Jeová sobre coisas tolas, mas eu orava à mesma, porque sentia que Ele estava lá e ouvia quando ninguém mais queria ouvir. O meu passado me levou até onde estou hoje e eu estou feliz de estar nos braços amorosos do meu Jesus. O meu coração está cheio de amor para com aqueles que estiveram onde eu estive, e eu quero que eles conheçam a mesma alegria e paz que tenho agora no meu Senhor Jesus!

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: Espanhol Tcheco Italiano Russo Inglês Portuguese