A História de Nancy

nancyA HISTÓRIA DE NANCY – Como a Política da Torre de Vigia de Não Levar Transfusões de Sangue Teve Impacto na Minha Família

O meu envolvimento como uma das Testemunha de Jeová, surgiu através da minha mãe, que se tornou uma Testemunha quando eu era muito jovem. A minha mãe é uma sobrevivente de abuso sexual na infância e este grupo apareceu no ministério de porta-em-porta e professava uma vida mais esperançosa para ela. Mas o que esta religião realmente fez, ao longo de mais de 40 anos, foi dividir completamente a minha família, incluindo os meus pais que se divorciaram há 24 anos. A minha mãe tem quatro filhos. Os três de nós que finalmente se foram embora, suportaram anos de ostracismo por parte da minha mãe. Dois dos meus irmãos escaparam antes de considerarem cometer suicídio, e eu saí um ano e meio depois da morte do meu marido Kurt devido à política da Torre de Vigia de não permitir as transfusões de sangue. O meu irmão mais velho quase cometeu suicídio antes de separar-se de toda a família. Outro dos meus irmãos tem lutado com a homossexualidade, havia sido desassociado por isso, mas voltou para a organização Torre de Vigia e já não fala com qualquer um de nós, e o meu irmão mais novo ficou muito deprimido e perto de suicídio antes de finalmente sair da organização.

O meu marido morreu em resultado direto da falta de uma transfusão de sangue. Isto foi claramente indicado no relatório enviado para mim pelo médico legista após a sua morte. O meu marido teve um acidente de trabalho (explosão e incêndio). Mais de 75% do seu corpo foi queimado e 50% dele com queimaduras de 3º grau tão profundas que tiveram que remover toda a pele e a camada de gordura abaixo até ao músculo. Eu não entendia como a falta de uma transfusão de sangue estava relacionada com a sua morte, até os profissionais da unidade de queimados me explicarem. Então, fiz uma pesquisa por conta própria e confirmei o que me haviam dito.

Basicamente, quando uma pessoa tem queimaduras que vão tão fundo em grande parte da superfície do corpo, é como ter uma ferida enorme onde todos os seus glóbulos brancos estão correndo para a área, tentando proteger e criar uma crosta, mas é claro que não podem fazê-lo. Como resultado, enquanto a pessoa está enfaixada dos pés à cabeça e todas os glóbulos brancos do sangue vão escorrer em todas os locais de feridas, embebendo as ataduras, o hemograma está continuamente caindo. Uma análise1. de hematócritos normal para um homem situa-se entre 45-52%. As análises do meu marido de hematócritos caíram para 5% antes dos seus principais órgãos começarem a entrar em falência.

As Testemunhas de Jeová muitas vezes pensam que tudo é apenas uma questão de volume de sangue que resulta em morte e muitas vezes recorrem a expansores de volume para o tratamento, mas estes não carregam oxigénio! Então, uma vez que a contagem de sangue é tão baixa e não há número suficiente de células que transportem oxigénio para os órgãos, a falência dos órgãos acontece. Primeiro, os rins do meu marido deixaram de funcionar. A diálise não era uma opção, quer porque uma máquina de diálise teria consumido um número de glóbulos de sangue, antes de realmente começar a fazer o seu trabalho. Kurt não tinha nada a perder. O seu fígado estava começando a falir e o seu coração seria o próximo. Nesse ponto, ele estava apenas respirando com uma máquina de ventilador e o seu coração continuava a bater devido às drogas que lhe estavam sendo dadas. Quando me disseram que não havia esperança, 5 semanas depois de estar na Unidade de Queimados da Universidade do Colorado, era mesmo tarde demais para dar-lhe as transfusões de sangue que lhe salvariam a vida. Pediram-me para tomar a decisão horrível de lhe retirar o suporte de vida. Ninguém deveria ser colocado nessa posição. É o lugar mais horrível de estar, especialmente quando não tem de acabar assim. O meu marido tinha apenas 32 ​​anos de idade, forte como um touro, e ele teria sido capaz de sobreviver com o tratamento correto. Eu SEI disso sem dúvida. A Unidade de Queimados teve pacientes que sobreviveram estando em pior estado do que o meu marido estava. Conheci vários deles, mas o meu marido não tinha a menor hipótese sem o sangue de que ele precisava.

Olhando para trás, com visão diferente, é claro, sabendo tudo o que sei agora, eu gostaria de ter tido a presença de espírito para empurrar os anciãos, e os outros para longe e ARRISCAR tudo o que eu achasse que pudessem ter sido as consequências. Eu faria qualquer coisa para poder ter ainda Kurt aqui com os seus filhos e comigo. Apenas três meses após a morte de Kurt, os anciãos desassociaram-me simplesmente porque não aprovavam a minha conduta como recente VIÚVA, ou seja, as decisões sobre os preparativos para o funeral, amizades próximas com pessoas não-Testemunhas de Jeová, permitindo que os chamados “descrentes” ajudassem a cuidar dos meus filhos (i.e., “má associação”). Não importava que o seu pai tinha acabado de morrer! Agora, a minha proximidade a um ancião que estava sendo solidário connosco foi considerada má conduta também!!

Após 18 meses sem NENHUM SISTEMA DE APOIO, sem amigos, sem família, recém-viúva, a tentar ganhar a vida e sustentar a minha família de luto, eu estava restabelecida, mas as coisas nunca voltaram ao NORMAL. A solidão que eu sentia num Salão do Reino cheio dos chamados “irmãos” e “irmãs”, cada vez que assistia a uma reunião, era insuportável! E eu sempre sentia o escrutínio constante dos anciãos que não tinham a menor ideia do fardo que carregava. Um desses fardos era o conhecimento de que só eu poderia ter evitado a morte do meu marido. Como ele estava muito drogado e muito incoerente para tomar qualquer decisão, se eu tivesse acabado por dizer aos médicos, “Vá em frente e faça o que precisa fazer para salvá-lo”, ele ainda estaria aqui hoje.

Se não fosse o medo das ações que pensei que os anciãos tomariam contra nós, a lavagem cerebral que eu tinha em acreditar que o meu marido estava fazendo algum tipo de sacrifício em nome de Jeová, dando um “testemunho” a todos os médicos e enfermeiros, eu poderia ter feito alguma coisa. O meu marido não era ainda ativo na congregação no momento em que tudo isso aconteceu. Os anciãos que foram enviados para o hospital para atuar como elo com os médicos, foram logo notificados da sua posição na congregação, e que ele não era elegível para esse tipo de apoio da Comissão de Ligação Hospitalar da Torre de Vigia. Então, eles decidiram exercer o mesmo tipo de controle, mas fazê-lo através de mim em seu lugar. Eu não pedira isso! Naquela época, eu era considerada espiritualmente fraca, faltava às reuniões, etc. Então, em retrospectiva, vejo que eles se colocaram numa posição de autoridade, onde eles não tinham o direito de estar. Este foi um assunto familiar pessoal, mas por ser um elo de ligação entre mim e os médicos, colocaram-se em posição de controlar se um membro conhecido iria receber uma transfusão de sangue.

Por todas as cinco semanas que o meu marido esteve no hospital, havia sempre um ancião ou o chamado “irmão maduro” pairando por perto. Ao mesmo tempo, o médico pediu para falar comigo sozinha numa sala de conferência, mas o ancião presente disse que ele deveria também estar na reunião, não a meu pedido. Este ancião, de fato, queria ter certeza de que ele estaria lá para manter a decisão de não permitir que o sangue fosse dado ao meu marido moribundo. O fardo que carrego, é porque eu sei sem dúvida que o meu marido, pai dos meus filhos, estaria aqui hoje se não fosse pela religião das Testemunhas de Jeová e o seu envolvimento e, o pior de tudo a minha cedência, em última análise, permitindo a sua morte desnecessária.

Eu também carrego esse fardo, porque pesquisei a questão da transfusão de sangue total e descobri que a doutrina que eles ensinam não tem apoio bíblico algum. Eles comparam-na com as Escrituras que falam de comer sangue e eles interpretam que é o mesmo que levá-lo por via intravenosa. A minha pesquisa mostrou que isso NÃO é o mesmo. As Testemunhas de Jeová permitem transplantes de órgãos e a Torre de Vigia até admite que uma transfusão de sangue é o mesmo que um transplante! Se você fosse incapaz de comer para manter-se nutrido, você estaria ligado a fluidos IV, que seriam consumidos por seu corpo para nutrição, mas quando você recebe sangue através de um IV, seu corpo NÃO O CONSOME! Uma transfusão de sangue é um SUBSTITUTO para o sangue que já perdeu, assim como um transplante de órgão seria a substituição do órgão que falhou! O que torna isso ainda mais perturbador, é o fato de que, nos últimos anos, a Torre de Vigia mudou drasticamente a sua posição sobre transfusões, tornando assim a morte sacrificial ainda mais dolorosa.

Quando o jornal local relatou acerca da morte de meu marido, a congregação das Testemunhas de Jeová respondeu declarando ao jornal que a escolha de aceitar ou recusar uma transfusão de sangue era uma “escolha pessoal”. Isto NÃO é verdade! Nunca foi uma “escolha pessoal” para o meu marido ou para a minha família! Nós estávamos sobrecarregados com uma lei feita por homens, e ameaçados pelos anciãos com a consequência de desagradar a Jeová, afirmando que tomariam uma acção disciplinar contra nós (sendo “marcados” ou “desassociados”) se permitíssemos a transfusão. Esta coerção evitou que tomássemos as medidas necessárias para salvar a vida de meu marido, por permitirmos uma transfusão de sangue.

No último ano, eu fui de ex-Testemunha de Jeová que abandonou a religião, para uma Ex-Testemunha de Jeová que fala ruidosamente contra a tirania e o controle deles. Quanto mais pesquiso e compreendo, mais tenho consciência de quanto ESTA SEITA É LOUCA, na realidade—tudo regras e doutrinas de homens, tudo com o propósito de separar a si mesmos do resto do mundo, como sendo diferentes, não certos, mas diferentes. Eles apanham presas vulneráveis e lentamente ganham controle sobre os seus pensamentos críticos até que se tornam como pequenas ovelhas sendo conduzidas. PENSAMENTO CRÍTICO é importante para todas as pessoas em toda a parte, para fazer escolhas sensatas, para questionar, para entender. Este grupo não aceita indivíduos que pensem, e assim que percebam que você é um, eles vão arranjar a forma mais rápida de o remover e tentar desacreditar e humilhar.

Estou grata de TER SAÍDO! Eu desejava que tivesse sido mais cedo, para que a minha vida ainda incluísse o meu falecido marido e pudesse ainda gozar mais anos junto dele, do que aqueles que tive. Eu tenho desejado muitas vezes que houvesse uma maneira de fazer a Torre de Vigia, Bíblias e Tratados pagar por esta grosseira injustiça, de modo a fazer desta situação um claro exemplo de coerção. Ainda não encontrei a forma, mas agora eu sinto-me feliz de me sentir LIVRE! Não para fazer coisas erradas ou coisas moralmente proibidas, mas LIVRE PARA SER EU PRÓPRIA! E para gostar de quem eu sou e a mãe que me tornei. Eu sinto falta do meu marido todos os dias—a vida será sempre incompleta sem ele. O meu irmão mais novo casou-se recentemente e nós os dois choramos por não ter o Kurt connosco. Ele tem sentido a sua falta, assim como os nossos filhos, assim como eu. Ele nunca poderá ser substituído. Eu ainda sou uma viúva sozinha, olhando meus filhos crescendo e seguindo com suas vidas. Nenhum homem foi capaz de preencher o lugar do meu marido e provavelmente nunca será. A minha esperança é que possa ajudar, nem que seja UMA pessoa, de modo a evitar que seja manipulada e aprisionada por este escandaloso, mas camuflado grupo.

PARA MAIS INFORMAÇÕES VEJA:

bullets POR QUE AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ RECUSAM TRANSFUSÕES SANGUE?

 

=========

1. O hematócrito é a parcela de contagem do sangue, que apresenta a proporção de glóbulos vermelhos, em relação ao volume total do sangue.

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: Espanhol Inglês Portuguese